Sites Grátis no Comunidades.net Wordpress, Prestashop, Joomla e Drupal Grátis
Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Google-Translate-Portuguese to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese



ONLINE
1




Partilhe este Site...

 

Verbo Encarnado, Amor Personificado

Deus viu a humanidade em seu estado de pecado,

Eternamente em miséria e condenado,

Embora o homem se rebelasse contra Deus,

Soberanamente por amor, Ele resgataria os Seus.

===//===

E pelo fato de tanto tê-los amado,

O Verbo que se fez carne foi espancado, zombado, torturado,

Humilhado, ignorado, rejeitado, açoitado,

E sem abrir a boca, ainda por amor, morreu crucificado.

===//===

Seria ele então na morte abandonado?

De modo algum seu plano redentor havia sido frustrado,

Pois ao terceiro dia, ele foi ressuscitado!

===//===

Quem confia nisso será, inocentado,

Porque o resgate por sua vida certamente já foi pago,

===//===

E então daremos graças por Ele ter nos resgatado,

E por Ele viveremos, estando sempre ao Seu lado!

 

Porque é tão difícil confiar naquele que morreu em seu lugar?

Alguém que você conhece morreria por você, HOJE, como Jesus morreu?



O "deus" VAZIO ensinado por Lucas Banzoli
O "deus" VAZIO ensinado por Lucas Banzoli

Trocando e-mails com o apologista Lucas Banzoli, do site http://lucasbanzoli.no.comunidades.net/,

fiquei espantado ao ler as afirmação dele.

Coloco aqui, pra vocês, a minha resposta aos e-mail dele. Nessa resposta eu cito as palavras dele antes de minhas refutações. Faço isso com a intenção de tornar os leitores conscientes do "alicerce" frágil e incorreto sobre o qual a teologia, ou ainda, a cristologia, de Lucas Banzoli está contruída.

Caso os leitores queiram ter acesso a conversa na íntegra, favor me contactar pelo endereço de e-mail, na coluna ao lado, e solicitar, que eu envio pra vocês!

Avaliem por si mesmos, o que esse homem, que se diz cristão (coloco isso porque ele não crê no Jesus bíblico, Deus-Homem), pensa, fala e ensina. É fato que muito do conteúdo presente em seu site é muito útil para o estudo acerca de seitas e heresias, mas devemos manter certa resistência em relação a algumas coisas, pois se quem as escreve crê que Jesus deixou de ser plenamente Deus enquanto esteve encarnado, eu não gostaria nem de imaginar o que mais de incorreto possa estar por detrás de suas crenças.

Ele, por várias vezes me chamou de herege por afirmar que eu disse que Jesus não veio em carne, me acusando de gnóstico, seguidor do gnsticismo. Uma heresia que surgiu nos primeiros séculos que ensinava que a carne, a matéria era má em si mesma e, portanto, negava a encarnação de Deus. Essa heresia foi condenada pela igreja durantes os séculos I e II.

Mas a VERDADE acerca da encarnação completa e verdadeira de Jesus é fácilmente comprovada por textos como João 1.14 e Hebreus 2.14, 17. No entanto, Jesus não possuia em si uma natureza pecaminosa. Isso o diferenciava de nós. Quando encarnado, ele continuou a ser Deus, mas foi visto "em forma" humana, à semelhança do homem. Não é só porque dizemos que alguém tem forma humana que negamos que seja de fato humano (com carne, ossos, sangue etc...).

Nesta troca de e-mails, Lucas deixou bem claro que sua posição é a de que Jesus "deixou" de ser Deus quando encarnou, ou ainda, "esvaziou-se" de seus atributos divinos. Uma heresia chamada KENOTICISMO, que já existe há pelo menos 2 séculos, e que surgiu na alemanha com Gottfried Thomasius, e depois na inglaterra, com o bispo Charles Gore.

Vejam por vocês mesmos, abaixo.

Que o Sr. Lucas fique à vontade para responder também, mas que antes ele prove, bíblicamente que Jesus, sendo Deus IMUTÁVEL (Hb 13.8; Tg 1.17) deixou de ser PLENAMENTE DEUS quando esteve entre os homens na terra.

Boa leitura e que Deus conceda arrependimento a quem quer que creia como esse homem!

===================================

Resposta ao Sr. Lucas Banzoli

JESUS: SEMELHANÇA DO HOMEM

Lucas, em seu e-mail você escreveu:

"Eu creio na Trindade e na divindade de Cristo, da mesma forma que creio que Jesus foi plenamente humano na terra, pois o autor de Hebreus nos declara expressamente que ele se fez igual a nós "em todos os aspectos" (Hb.2:17). Portanto, se Jesus foi homem igual a nós, ele teve o mesmo destino que todos nós temos após a morte: a inconsciência pós-morte que a Bíblia define como sendo o "sono da morte" (Sl.13:3). Negar isso significa dizer que Jesus não foi igual a nós em todos os aspectos, que não era um humano mas sim um Deus-homem enquanto aqui esteve (algumas igrejas pregam deste jeito)."

Aqui você deixa bem claro que não crê que Jesus foi Deus-homem enquanto encarnado, ou seja, você subtrai dele a divindade e coloca Jesus simplesmente na posição de "homem".

Quando eu citei que Jesus veio apenas em "semelhança" humana, porém, sem natureza pecaminosa (do contrário ele seria, de fato, homem como todos nós), você começou com seus ataques contra mim, dizendo...


"Você deturpa as Escrituras com um significado distorcido da palavra "semelhante", que realmente tem como um dos significados "parecido", mas isso em português, não no grego. Leia o Manual de Dúvidas, Enigmas e Contradições da Bíblia (escrito pelo erudito mundialmente reconhecido Norman Geisler e por Thomas Howe), veja como eles refutam essa sua visão distorcida, e como eles mostram que no grego a palavra não tem qualquer aplicação com "parecido", os textos dizem que Jesus foi IGUAL a nós e não somente PARECIDO quando se utilizam daquela palavra grega.
Poderia passar aqui toda a explanação deles, mas, como já disse, estou sem tempo no momento"

E eu fiz exatamente o que você disse. Eu tenho esse livro. E foi exatamente a sua "falta de tempo" em não ler direito o que Geisler fala que te fez tropeçar.

Vamos ver o que Geisler escreveu lá, comentanto Romanos 8.3?

"(...) quando Paulo afirmou (em Romanos 8:3) que Jesus veio "em semelhança de carne", talvez ele não estivesse se referindo à carne humana como tal, mas à "carne humana pecaminosa". Jesus tinha verdadeiramente carne humana, mas sua carne era apenas semelhante à carne humana pecaminosa, porque ele não tinha pecado (Hb 4:15; 1 Pe 3:18; 1 Jo 3:3). De qualquer modo, em Filipenses 2, Paulo fala de Cristo ter-se tornado "em semelhança de homens", com o sentido de que ele era um ser humano (v. 7). Assim, mesmo sem o adjetivo "pecaminosa" (colocado após "carne" em 8:3), Paulo fala da "semelhança" aos homens como sendo o mesmo que "ser humano".

O que eu escrevi foi que ISOS (ser igual, reflexo perfeito) é diferente de HOMOIOS (semelhança = ser humana sem essência pecaminosa).

Se dissermos que Jesus foi ISOS ao ser humano teremos que admitir que ele possui inclinação para o pecado assim como nós.

Além do mais, existe a diferenciação entre MORPHE (expressão externa do ser interno) e SCHEMA (aparência externa, que pode ser vista).

Jesus tornou Deus conhecido aos homens por suas ações, mas foi identificado como um ser humano perfeito (sem pecado) e completo (em todos os aspectos físicos).

Logo, as ações de Jesus refletiam quem ele era internamente (morphe), porém, os homens o viam (schema) exatamente como sendo um de nós. O único atributo humano que Jesus não tinha era o pecado.

Fonte: http://www.bibletools.org/index.cfm/fuseaction/Topical.show/RTD/cgg/ID/1737/Morphe.htm

Agora olha o que eu escrevi: "
Ele precisava ser plenamente homem, para morrer por nossos pecados, e plenamente Deus (perfeito) para que a oferta fosse aceita.... Pelos seus argumentos de não entender como Jesus seria incapaz de não usar de alguns dos atributos divinos, o problema não está com ele, mas sim com a nossa mente limitada. Até mesmo porque a própria Bíblia diz que ele "não apegou-se" ao ser igual a Deus, mas sim que ele se sujeitou ao "ser semelhante" ao homem para que seu propósito se cumprisse em benefício nosso."

Portanto meu amigo... claramente você me julgou sem ler o que de fato eu havia escrito, e pior... me retulou como "herege participante de uma seita". E pior ainda.... citou um autor que refuta seus próprios argumentos.

Vemos que minha opinião e a de Geisler não difere em nada. Trata-se, simplesmente, de má compreensão e preconceito seu.

Veja suas palavras: "
é triste e lamentável que você tenha negado que Jesus veio em carne...pois você disse claramente que Jesus era somente PARECIDO com os homens, mas não era humano de verdade, que ele somente era SEMELHANTE aos homens, mas não era um (devia ser um extra-terrestre ou sei lá o que)"

Você poderia, por favor, citar minhas palavras que você trasnscreveu acima?

Não... não pode, porque eu não disse nada parecido com isso. Pior... eu disse que ele "precisava ser PLENAMENTE homem". Triste é ver que você não teve capacidade intelectual, racional e lógica de entender o que eu escrevi, afinal de contas, é o que se espera quando fazemos as coisas na pressa e quanto estamos tentando provar nossos pontos de vista. Textos como Hb 2.14, 17 e João 1.14 deixam claro que ele tomou para si a natureza humana em adição à natureza divina, porém, sem pecado. Mas quanto a isso, vou deixar o próprio Geisler te responder.

Quem sabe a ele você escute.

JESUS ESVAZIOU-SE

Sobre Fp 2.5-7, Geisler escreve em seu livro:

"A sua encarnação não foi a subtração da divindade, mas a adição da humanidade. Varias coisas nesse texto dão suporte a essa posição. Primeiro, o texto não diz que Cristo desistiu ou esvaziou-se de sua divindade, mas meramente de seus direitos como Deus, "assumindo a forma de servo" (v.7), de modo a ser um exemplo para nós (v. 5). Segundo, o texto declara que ele estava na "forma de Deus" (v.6), ou que "teve a mesma natureza de Deus" (v. 6, TLH). Assim como a expressão "forma de servo" (v. 7) refere-se a um servo por natureza, também a expressão "forma de Deus" (v. 6) refere-se a Deus por natureza. Terceiro, essa mesma passagem declara que todo joelho um dia confessará que Jesus é "Senhor", uma citação de lsaías 45:23, que se refere a Yahveh, um nome de uso exclusivo de Deus."

Portanto meu amigo, o fato de você ter citado Geisler para "supostamente" defender foi um tiro no seu próprio pé!

Compare com as minhas palavras: "
Pelos seus argumentos de não entender como Jesus seria incapaz de não usar de alguns dos atributos divinos, o problema não está com ele, mas sim com a nossa mente limitada. Até mesmo porque a própria Bíblia diz que ele "não apegou-se" ao ser igual a Deus, mas sim que ele se sujeitou ao "ser semelhante" ao homem para que seu propósito se cumprisse em benefício nosso."

Tudo se resolve quando você se dá ao trabalho de ler os versículos anteriores ao 5...

"Nada façam por ambição egoísta ou por vaidade, mas humildemente considerem os outros superiores a si mesmos... seja a atitude de vocês a mesma de Cristo Jesus" (Fl 2.3, 5)

Paulo diz que nossa atitude deve ser a mesma de Jesus: se sujeitar, assumir a forma de servo, considerar o outro superior a nós mesmos. Ele foi exemplo disso, e mesmo sendo Deus não se apegou a isso, mas se humilhou se tornando um de nós e deixando a posição de glória que tinha com o Pai.

Devemos nos "esvaziar" de nossos atributos? Nao... porque atributos são aquilo que define quem alguém é... fazer isso seria o mesmo que negar sua própria identidade.

Tire qualquer atributo seu (cor dos olhos, tom de voz etc, formação acadêmica etc...) que você não será mais o Lucas Banzoli.

Agora joque isso pra Cristo e veja as sérias implicações que isso traz.

Atributo:
O que é próprio, particular a um ser, qualidade de uma substância, símbolo, emblema distintivo.

Fonte:http://www.dicio.com.br/atributo/

Preste bastante atenção nessa frase:

Tirar um dos atributos divinos de Jesus, que sempre foi Deus, é o mesmo que descaracterizar o SER de Deus, remover parte de sua QUALIDADE, e ainda algo pelo qual Ele se torna conhecido como Deus.

E pior... se Ele mesmo fala que é imutável (sem variação, cf. Tg 1.17), você diz o contrário com sua kenosis de Fp 2, ou seja, faz de Deus um mentiroso.

Portanto, Geisler e eu concordamos, e você discorda de nós dois, e de Paulo ainda por cima, ou melhor, da bíblia. Aquela advertência sobre estar indo contra a bíblia se aplica a você, e não a mim.

NÃO PÔDE REALIZAR MILAGRES

Mais uma vez, passo a voz a Geisler:

"Jesus é todo-poderoso como Deus, mas não todo-poderoso como homem. Na condição de Deus-homem, Jesus tem tanto a natureza divina como a humana. O que ele pode fazer numa natureza não é necessariamente o que pode fazer na outra. Por exemplo, como Deus, Jesus nunca se cansou (Sl 121:4); mas como homem ele se cansou, sim cf. Jo 4:6). Além disso, só pelo fato de possuir todo o poder, isso não significa que ele sempre quis exercê-lo. O "não pôde" de Marcos 6:5 possui o significado "moral" e não "real", isto é, ele decidiu não realizar milagres por causa da incredulidade deles" (Mc 6:6; Mt 13:58). Jesus não era alguém que fazia espetáculos, nem ainda lançava pérolas aos porcos. Assim, a necessidade nesse caso é moral, não metafísica. Ele tinha a capacidade de fazer milagres lá, e de fato fez alguns (v. 5); mas recusou-se tão-somente a fazer mais, porque considerava que seria um esforço em vão."

Aí você escreveu: "
Será que você não percebeu ainda no texto bíblico a palavra "NÃO PÔDE"? Por que ainda insiste que Ele "NÃO QUIS"? Você está se debruçando não contra mim, mas contra as Escrituras, amigo. Você está querendo negar o óbvio do texto bíblico, seja por ignorância ou então por teimosia."

Fale isso pro Geisler amigo!

Além do mais, se você lesse o versículo seguinte em vez de pegar versículos isolados, entenderia algo simples onde você cria tanta confusão:

"E näo podia fazer ali obras maravilhosas; somente curou alguns poucos enfermos, impondo-lhes as mäos. E estava admirado da incredulidade deles. E percorreu as aldeias vizinhas, ensinando." (Marcos 6.5-6)

Se curar alguns não é fazer milagres, então quase todos os "milagres" de Jesus não poderiam ser considerados assim. E fica claro que era por causa da "incredulidade" que ele "não pôdia". Não que ele não pudess, mas que não iria adiantar nada. As obras de Jesus tinham o propósito de revelar quem ele era para que as pessoas cressem nele. Pra quê ele iria realizar milagres para os incrédulos? Como Geisler bem disse, "ele não lançava pérolas aos porcos".

Note bem o que eu escrevi sobre esse texto pra você, antes da sua resposta:

"
E se Jesus não quis fazer milagre, isso não significa que ele não podia. Cada milagre de Jesus tinha um propósito, não simplesmente para se exibir. O fato de Deus não querer fazer milagres quando você pede significa que Ele não pode?"

Mais uma vez, minha voz e a de Geisler estão em uníssono! A única que distoa aqui é a sua.

E se esse versículo é, pra você, algo que prova que Jesus não tinha atributos divinos ali, sinto muito amigo. Seu argumento foi construído sobre a areia.

Você ainda nem entendeu qual era o propósito das obras de Jesus.

Aliás, você deveria ler esse Manual Popular do Geisler que você me indicou. Principalmente o que ele diz sobre a observância do sábado (Cl 2.16), do sono da alma (2Reis 14.29), etc... Quem sabe você não aprende a ser bíblico como ele! Como você pode citar alguém para refutar meus argumentos que FORTEMENTE refuta aquilo em que você acredita e pior... ensina aos outros?

Ou será que você faz o mesmo com Geisler que você faz com a Bíblia? Aceita o que interessa, e rejeita o que não interessa?

A QUESTÃO QUE NÃO QUER CALAR - O JESUS ANTIBÍBLICO DE LUCAS BANZOLI

Agora, depois da refutação de seus argumentos, algo ainda paira no ar, sem resposta.

Você disse, numa tentativa desesperada de provar seu ponto de vista:

"
Nem preciso comentar muito sobre isso (Cl 2.9), basta dizer que Paulo coloca o termo no TEMPO PRESENTE, ele diz que em Cristo HABITA (habita = tempo presente) a plenitude da divindade, eu não sei se você percebeu este detalhe, e eu nunca neguei a divindade de Cristo, creio que Jesus é o Deus Todo-Poderoso, conquanto tenha aberto mão de sua natureza divina enquanto se fez homem igual a nós na terra. Se o texto tivesse dizendo que em Cristo HABITAVA (se referindo ao tempo passado em que ele esteve conosco na terra) a plenitude da divindade, aí sim, meus parabéns, você conseguiu me refutar, palmas pra você. Mas sendo que o texto coloca o tempo no presente, você não me refuta em nada, pois tanto eu quanto você cremos igualmente que Jesus é Deus, e que ele nele HABITA a plenitude da divindade.

Seu sarcarsmo é notório, e também sua falta de temor a Deus e de conhecimento teológico quando faz afirmações desse tipo.


O texto não precisa trazer o verbo HABITAR no passado. Se você não aceita Cl 2.9 para crer que em Cristo habitava a plenitude da divindade, aceite o texto abaixo para destruir de vez seu argumento antí-bíblico.

"Jesus Cristo é o mesmo, ontem, e hoje, e eternamente." (Hb 13.8)


Sua bíblia não tem esse versículo ou você ainda não chegou nessa parte??

Além do mais Jesus afirmou que é Deus ao dizer "EU SOU" (Ego Eimi), uma referência clara a Êxodo 3.14, ao próprio Deus.
Isso ficou tão claro para os judeus (sua reivindicação de divindade), que quiseram apredejar a Jesus por blasfêmia.

Se Jesus tivesse deixado de ter sequer um dos atributos divinos, Ele não poderia afirmar que ERA DEUS!

Isso seria mentira, porque Deus é completo, em toda a plenitude de Sua divindade. Então Jesus teria mentido ao dizer que, naquele momento, era Deus, e sua perfeição como "sem mácula" para ser a oferta perfeita teria ido por água abaixo.

Percebe as implicações teológicas de seus argumentos??

Se Jesus é o mesmo "ONTEM, HOJE E SEMPRE", ou melhor, Deus, em quem "habita corporalmente toda a PLENITUDE da divindade" (Cl 2.9), em quem não há "sombra nem variação" (Tg 1.17) e É Deus desde sempre (Jo 1.1), Deus poderia deixar de ser que Ele é por algum tempo sem deixar de ser Deus??

E você ainda tem a coragem de dizer que "crê que Jesus é o Deus Todo-Poderoso"? Se mesmo por um milionésimo de segundo ele deixou de ser quem Ele SEMPRE FOI, ou seja, alterou Sua essência e o que O caracteriza como Deus (deixou SEUS ATRIBUTOS) Ele nunca foi Deus de verdade, porque Deus não pode "se negar", e para isso, teria que abrir mão de ser quem Ele é, ou seja, de Seus atributos, assim como você diz que Jesus fez.

Amigo... sua idéia acerca da pessoa de Jesus nao tem base biblica... sinto muito.

Essa sua idéia é chamada de KENOTICISMO.

A Teoria de Kenosis, como foi batizada por seus proponentes no século 19 (Foi o bispo Gore, da Inglaterra, quem a criou no século retrasado), baseia-se exclusivamente em uma frágil interpretação de uma expressão usada na passagem de Filipenses 2.7. A Teologia Kenótica é tremendamente frágil, pois já nasce apoiada em uma miragem, em uma base que não existe. O próprio versículo usado para, sobre ele, ser erigida essa teoria simplesmente desaprova-a. Filipenses 2.7 não está dizendo que Jesus esvaziou-se de seus poderes divinos, mas sim da sua glória, isto é, da sua dignidade divina. Nesse sentido, Jesus “tornou-se a si mesmo insignificante”. Jesus se esvaziou de sua glória celeste (Jo 17.5), não de Seus atributos. Jesus não pode ter se esvaziado dos Seus atributos porque, primeiro, esse texto, como veremos a seguir, não diz isso; e segundo, porque são os atributos de uma coisa ou ser que fazem ele ser o que é. Exemplo: Um atributo básico da luz é iluminar. Se ela não mais ilumina, não é mais luz. Se Jesus esvaziou-se de Seus atributos em Sua encarnação, Ele não era mais Deus. Os atributos de Jesus continuavam com Ele em Sua encarnação.

A sua logica é:


Eternidade: Jesus é Deus
Na encarnaçao: Jesus deixou de ser Deus ao abrir mão de seus atributos divinos e era somente homem
Na ressurreiçao: jesus voltou a ser Deus
Hoje: ele é Deus

Deus pode deixar de ser quem Ele é?

Lembre-se:

"Jesus Cristo é o mesmo, ontem, e hoje, e eternamente." (Hb 13.8)

Como voce pode crer num Deus imutavel se voce cre num Deus que mudou desse jeito?

Portanto amigo, o adjetivo "herege" não cabe a mim aqui, pois eu creio que Jesus foi plenamente homem em tudo, porém sem pecado (Deus em semelhança/forma humana), e plenamente Deus, porém "abriu mão voluntariamente da Glória que tinha com o Pai", mas não de Seus atributos.

"E agora glorifica-me tu, ó Pai, junto de ti mesmo, com aquela glória que tinha contigo antes que o mundo existisse." (Jo 17.5)

Jesus não disse "devolva-me meus atributos divinos" nem "me torne plenamente divino novamente", mas sim "glorifica-me com a glória", ou seja, a posição de HONRA que ele sempre teve.


Cito, pela última vez, palavras suas:

"
O fato é que você está distorcendo o original grego para levar adiante uma heresia grotesca de origem gnóstica que foi rejeitada pela Igreja durante dois mil anos, mas que até hoje ganha alguns adeptos: de que Jesus não era 100% humano, que era apenas "parecido", que não veio 100% em carne. Me recuso a debater com gente que nega que Jesus veio em carne completamente e absolutamente, o apóstolo João disse que tal pessoa é o anticristo."

Essa sua afirmação é fruto de sua má compreensão como eu já mostrei anteriormente. Porém, anticristo pior é aquele que AFIRMA, e PROPAGA a outro a MENTIRA lavada e descarada de que Deus abriu mão daquilo que O caracteriza como Deus, ou seja, de Seus atributos.

Esse é o seu Deus e o seu Jesus?? Mais falso que nota de 3 reais.

E tudo isso só pra provar a teoria da mortalidade da alma que, segundo você, também aconteceu com Jesus?

Sinto muito amigo. Esse Jesus pode ser tudo, menos o Deus Todo-Poderoso.

"Mas temo que, assim como a serpente enganou Eva com a sua astúcia, assim também sejam de alguma sorte corrompidos os vossos sentidos, e se apartem da simplicidade que há em Cristo. Porque, se alguém for pregar-vos outro Jesus que nós näo temos pregado, ou se recebeis outro espírito que näo recebestes, ou outro evangelho que näo abraçastes, com razäo o sofrereis." (2 Cor 11.3-4)

Termino aqui minha refutação de seus argumentos amigo. Biblicamente, sem apelar para minhas próprias idéias e argumentos, ao contrário de você.

Fico no aguardo de uma tentativa de "defesa" sua em relação ao SEU Jesus Cristo.

Oro pra que Deus te mostre a verdade sobre a pessoa de Jesus meu caro amigo, porque sei que se isso ainda está encoberto pra você, é porque Ele ainda não revelou.

Cabe somente a Ele fazê-lo.

Que Ele o abençoe!