Sites Grátis no Comunidades.net
Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Google-Translate-Portuguese to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese



ONLINE
1




Partilhe este Site...

 

Verbo Encarnado, Amor Personificado

Deus viu a humanidade em seu estado de pecado,

Eternamente em miséria e condenado,

Embora o homem se rebelasse contra Deus,

Soberanamente por amor, Ele resgataria os Seus.

===//===

E pelo fato de tanto tê-los amado,

O Verbo que se fez carne foi espancado, zombado, torturado,

Humilhado, ignorado, rejeitado, açoitado,

E sem abrir a boca, ainda por amor, morreu crucificado.

===//===

Seria ele então na morte abandonado?

De modo algum seu plano redentor havia sido frustrado,

Pois ao terceiro dia, ele foi ressuscitado!

===//===

Quem confia nisso será, inocentado,

Porque o resgate por sua vida certamente já foi pago,

===//===

E então daremos graças por Ele ter nos resgatado,

E por Ele viveremos, estando sempre ao Seu lado!

 

Porque é tão difícil confiar naquele que morreu em seu lugar?

Alguém que você conhece morreria por você, HOJE, como Jesus morreu?



A morte da Sola Scriptura - Refutação Bíblica
A morte da Sola Scriptura - Refutação Bíblica

Olá a todos!

Passeando pela internet, encontrei um site católico intitulado macabeus.rede.comunidades.net que se propõe a expor as mentiras do protestantismo.

Nesse site encontrei um artigo nomeado A Morte da Sola Scriptura, onde o autor, Cris Macabeus, pensa que "matou" as Escrituras como sendo a única fonte inerrante, segura, infalível e confiável de regra prática em matéria de fé.

Vejamos abaixo esse artigo, em azul claro, sendo refutado biblicamente, em branco.

Que Deus nos conceda entendimento para que possamos compreender Suas verdades e que Ele seja o juíz entre as motivações do coração do homem.

Boa leitura!

==========================
A Morte da Sola Scriptura

Onde está na Bíblia?

Bem meus irmãos Católicos, quantas vezes vocês escutaram esse tipo de heresia protestante? (onde está na Bíblia); Essa pergunta é totalmente herética e foi inspirada por satanás para o uso protestante contra a Santa Tradição e o Santo Magistério da Igreja Católica.

Primeiramente devemos entender o real significado dessa heresia; (Sola Scriptura); ela consiste em acreditar apenas no que está escrito no Cânon Bíblico, tudo tem que se basear na Bíblia, sendo assim, nada dentro da doutrina Cristã pode ser relacionado com o que não esteja escrito na Bíblia Sagrada.

Logo no início já começamos ver a intenção por detrás das palavras de nosso amigo Cris, quando menciona as palavras "heresia" e "inspirada por Satanás".

Em primeiro lugar, vemos aqui que o autor começa defendendo a Igreja Católica (isso é óbvio), como sendo uma instituição religiosa, mas, será que de fato o NT ensina isso?

Para darmos continuidade em nossa refutação precisamos entender o conceito de "igreja" ensinado no NT. Uma vez feito isso, ficará claro o quanto os católicos estão equivocados em crer nessa instituição.

A palavra grega traduzida por igreja, ekklesia, significa "assembléia". Assembléia de quem? Dos chamados (klesia) para fora (ek) do sistema de valores que o mundo ensina. Não deixamos o mundo em si, mas somos chamados a deixarmos esse sistema de valores e idéias corrompidos e distorcidos que só tende a afastar cada vez mais o homem do ideal que Deus tem pra ele.

Então, igreja NUNCA se tratou de organização, ou instituição religiosa nas Escrituras, mas sim da reunião de todos aqueles que já foram lavados pelo sangue do cordeiro e unidos à família de Deus mediante a fé quando foram selados pelo Espírito Deus, que vem fazer morada na pessoa, ou seja, habitar, no crente.

Nós somos a igreja. Nós, os que cremos, e temos o Espírito Santo habitando em nós!

"Não sabeis vós que sois o templo de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós?... Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos?" (1Cor 3.16; 6.19)

"E que consenso tem o templo de Deus com os ídolos? Porque vós sois o templo do Deus vivente, como Deus disse: Neles habitarei, e entre eles andarei; e eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo." (2Cor 6.16)

E não esqueçamos que Paulo escreve isso aos coríntios, que não eram nenhum modelo de perfeição moral e religiosa. Deus não habita em nós por causa de nossa justiça própria, mas apesar dela, olhando para a justiça de Cristo em nós. Essa história de ser perfeito para ter acesso a Deus é mais um engôdo do catolicismo romano, pois se fosse verdade, Deus jamais faria morada em pecadores. Outra palavra distorcida pela ICR é "SANTO", do grego hagios, que significa "separado", e não "perfeito".

Vejamos:

Ekklesia: chamados para fora do sistema de valores do mundo;

Hagios: Separados por Deus para um propósito, a santificação (hagiazo), ou seja, a separação gradativa dos valores do mundo.

A assembléia (ekklésia) dos santos (hagios), ou seja, separados por Deus, é a igreja.

Portanto, o Espírito Santo não habita na IGREJA CATÓLICA ROMANA exclusivamente, como afirmam os católicos, com o propósito de tornar o povo escravo dessa instituição caso queiram ter acesso a Deus, tornando-os dependentes dela. Isso é na verdade uma tentativa de se manter numa posição de poder. Aliás, só o nome dessa instituição já é uma contradição em si, pois...

Igreja (assembléia) Católica (universal) Apostólica (veio dos apóstolos) Romana (fundada em Roma).

Como uma igreja pode ser universal, e local (Romana) ao mesmo tempo? Além do mais, a primeira igreja local (gentia) que surgiu na história do cristianismo, tendo inclusive como líder o apóstolo Pedro, foi a igreja de Antioquia, na Grécia, e não a de Roma. E não preciso recorrer a fontes extra-bíblicas para provar isso.

Vejamos:

"Em Antioquia, foram os discípulos, pela primeira vez, chamados cristãos" (At 11.26)

A Palavra de Deus é bem clara ao dizer que o Espírito Santo habita em cada um daqueles que crêem e confiam na obra de Cristo como única e suficiente para sua salvação.

"Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que crêem no seu nome; os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus." (1Jo 1.12-13)

"Em quem também vós estais, depois que ouvistes a palavra da verdade, o evangelho da vossa salvação; e, tendo nele também crido, fostes selados com o Espírito Santo da promessa." (Ef 1.13)

"Ora, é Deus que faz que nós e vocês permaneçamos firmes em Cristo. Ele nos ungiu, nos selou como sua propriedade e pôs o seu Espírito em nossos corações como garantia do que está por vir." (2Cor 1.21-22)

É por isso que Jesus disse que estaria conosco "até o fim dos tempos", e que "as portas do inferno não prevaleceriam sobre sua igreja". Porque ele estaria conosco através de seu espírito que habitaria em nós, e as portas do inferno não prevaleceriam contra sua igreja porque é o Espírito Santo quem garante a vida eterna (Ef 1.13-14;4.30; 2Cor 1.21-22) e a ressurreição (Rm 8.11).

Quando a ICR se diz "porta voz" de Deus na Terra ela está na verdade tomando para si os títulos e funções que deveriam ser atribuídos única e exclusivamente ao Espírito Santo, verdadeira fonte de santificação do povo de Deus mediante a Palavra, que é a VERDADE (João 17.17).

"Näo pelas obras de justiça que houvéssemos feito, mas segundo a sua misericórdia, nos salvou pela lavagem da regeneraçäo e da renovaçäo do Espírito Santo, que abundantemente ele derramou sobre nós por Jesus Cristo nosso Salvador" (Tito 3.5-6)

"Purificando as vossas almas pelo Espírito na obediência à VERDADE, para o amor fraternal, näo fingido; amai-vos ardentemente uns aos outros com um coraçäo puro; sendo de novo gerados, näo de semente corruptível, mas da incorruptível, pela PALAVRA DE DEUS, viva, e que permanece para sempre." (1Pedro 1.22-23)

A igreja de Cristo somos cada um de nós, que temos o Espírito Santo fazendo morada em nós e somos (Jo 14.23), consequentemente, templo vivo de Deus, e não uma instituição religiosa cheia de rituais e práticas que só servem para desviar os olhos do povo do Deus verdadeiro.

Pedro diz que cada um daqueles que pertencem à família de Deus pela fé são pedras vivas (1Pe 2.5) utilizadas na nossa própria edificação e na edificação do corpo como um todo. Nós somos edificados de dentro para fora, através do agir do Espírito Santo em nossas vidas, e não de fora para dentro, por meio da igreja, como ensina a ICR. Afinal de contas, se a igreja é constituída daqueles que já foram salvos, como é que a igreja pode salvar alguém?

Com iso em mente, podemos fazer uma pergunta ao autor do texto: ao defender sua instituição religiosa, ele está biblicamente correto, sabendo que Jesus não fundou uma institução?

Voltando ao nosso artigo...

Mas será que isso funciona?

Existe uma grande diferença entre (Cristianismo) e a (Sola Scriptura).

  • Cristianismo é a Religião da Palavra.
  • Sola Scriptura é o conceito da Religião do Livro.


Vejamos: Se cremos que a Bíblia é a Palavra de Deus inspirada, e se sabemos que Jesus é o Verbo, ou melhor, a Palavra de Deus, que se fez carne (Jo 1.1, 14),  e ele mesmo afirmou que a Palavra de Deus é a Verdade (Jo 17.17) e que ele próprio é a Verdade (Jo 14.6), logo, Jesus foi a Palavra de Deus que ganhou vida. Jesus é a Palavra de Deus, e não a tradição.

Em Apocalipse 19.13 vemos uma clara referência à Jesus como sendo a Palavra de Deus...

Em João 12.48 vemos que Jesus diz que a Palavra de Deus nos julgará, ou seja, ele mesmo...

E Jesus condenou os fariseus porque eles colocavam suas tradições em pé de igualdade, e às vezes acima da própria Palavra de Deus. Foi por isso que o rejeitaram. Por que deram mais ouvido às tradições, palavras de homens, do que à própria Palavra de Deus encarnada. É isso o que acontece quando buscamos Verdade fora da Verdade.

Outro ponto que vale à pena ser levantado, é que se a tradição também é válida, então ela não pode contradizer em momento algum a Palavra de Deus, pois se isso acontecer, fica claro que não procede da mesma fonte de inspiração.

Vejamos:

A Palavra de Deus nos diz que o Espírito Santo é o selo que Deus coloca na pessoa para a salvação da mesma (Ef 1.13; 4.30)

A tradição (Catecismo da ICR) nos diz que o BATISMO, e não o Espírito Santo, é o selo (#1274). Vejamos:

O «selo do Senhor» («dominicus character») é o selo com que o Espírito Santo nos marcou «para o dia da redenção» (Ef 4, 30). «O Baptismo é, efectivamente, o selo da vida eterna» (86). O fiel que tiver «guardado o selo» até ao fim, quer dizer, que tiver permanecido fiel às exigências do seu Baptismo, poderá partir «marcado pelo sinal da fé», com a fé do seu Baptismo, na expectativa da visão bem-aventurada de Deus – consumação da fé – e na esperança da ressurreição.

Vejamos que o próprio catecismo cita Efésios 4.30, mas vejamos as passagens principais que falam sobre o assunto:

"Em quem também vós estais, depois que ouvistes a palavra da verdade, o evangelho da vossa salvaçäo; e, tendo nele também crido, fostes selados com o Espírito Santo da promessa, que é a garantia da nossa herança até a redenção daqueles que pertencem a Deus, para o louvor da sua glória (...) E näo entristeçais o Espírito Santo de Deus, no qual estais selados para o dia da redençäo (...) Ora, é Deus que faz que nós e vocês permaneçam firmes em Cristo. Ele nos ungiu, nos selou como sua propriedade e pôs o seu Espírito em nossos corações como garantia do que está por vir (...) E, se o Espírito daquele que dentre os mortos ressuscitou a Jesus habita em vós, aquele que dentre os mortos ressuscitou a Cristo também vivificará os vossos corpos mortais, pelo seu Espírito que em vós habita." (Ef 1.13-14; 4.30; 2Cor 1.21-22; Rm 8.11)

Encontramos aqui um erro! Uma contradição clara! Ou melhor, várias!!!

O catecismo, outra fonte de ensino da ICR em pé de igualdade com as Escrituras interpretado pelo Magistério "Infalível" da ICR nos diz que o batismo é o SELO, ao passo em que as Escrituras nos dizem que o Espírito Santo é o selo, dado aos que CRÊEM (cf. Ef 1.13 e Jo 1.12-13) e não aos que são batizados.

Notemos também que o catecismo diz que a pessoa precisa "guardar o selo" até o fim para ser salvo. Já as Escrituras nos dizem que é pelo poder de Deus, mediante o Espírito Santo, que é o selo e GARANTIA da redenção ATÉ a vinda de Cristo (Ef 1.14), que somos guardados (1Pe 1.5).

Caso queiram ver mais contradições, por favor, acessem meu artigo sobre várias contradições entre o catecismo e a bíblia e decidam por si mesmos quem está com, ou quem é, a VERDADE!

http://heresiasdocristianismo.comunidades.net/index.php?pagina=1273025710_03

Agora, vejamos uma afirmação feita pela ICR...

- "É errado acreditar que, se o Papa fosse um réprobo e um homem mal e consequentemente um membro do diabo, ele não teria poder sobre os fiéis, nem seria o Cabeça da igreja militante na Terra" - Concílio de Constança, Condenação dos Erros, constra Wycliffe, Sessão VIII, e Hus, Sessão XV; DNZ:621, 617, 588, (citado em Apostolic Digest, por Michael Malone, Livro 5: "O livro da obediência", Capítulo 1: "Não há Salvação sem Submissão Pessoal ao Papa").

Fonte: http://www.mb-soft.com/believe/tts/constanc.htm

Incrível não? O Papa continua sendo autoridade máxima mesmo sendo um servo do diabo, o pai da mentira?

Jesus sempre fez referência às Escrituras.  Por várias vezes ele cita o AT, mas nenhuma vez ele cita algo fora das Escrituras (tradição). O AT é citado ao todo no NT mais de 50 vezes!

"Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais penetrante do que espada alguma de dois gumes, e penetra até à divisäo da alma e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intençöes do coraçäo." (Hb 4.12)

A Palavra de Deus, e não a tradição, é viva e eficaz! Além do mais Jesus disse que "nem só de pão VIVERÁ o homem, mas de TODA Palavra que procede da boca de Deus", uma citação clara de Dt 8.3, que nos mostra que a Palavra de Deus produz vida espiritual.

"Segundo a sua vontade, ele nos gerou pela palavra da verdade, para que fóssemos como primícias das suas criaturas." (Tg 1.18)

Quando Cris Macabeus diz que Cristianismo é a Religião da Palavra, ele deveria na verdade dizer que Jesus Cristo é o Cristianismo, e não a ICR com todos os seus ritos e líderes que são "pontes" para que o homem chegue até Deus.

Agora eu irei mostrar a diferença entre Cristianismo e Sola Scriptura.

 

                      Cristianismo                                                 Sola Scriptura (sem base Bíblica)

Jesus é a palavra de Deus. (João 1-1)

Jesus se transformou em um livro. (Sem Base)

Jesus edifica uma Igreja. (Mateus 16-18)

Jesus edifica um livro. (Sem Base)

Jesus manda pregar o evangelho (Marcos 16-15)

Jesus manda escrever o evangelho (Sem Base)

Doutrina da tradição escrita e oral (II Tess 2-15)

Doutrina da escrita apenas (Sem Base)

A igreja é a coluna da verdade (I Timotio 3-15)

O livro é a coluna única verdade (Sem Base)

A Igreja edifica o Livro (concilio de Hipona 393)

O livro edifica a Igreja (Sem fontes documentais)

Jesus edifica uma igreja apenas (Mateus 16-18)

Jesus edifica um livro e varias igrejas (Sem Base)

 

Vendo o quadro de diferenças entre (Cristianismo) e (Sola Scriptura), deu para perceber que essa heresia é totalmente Ant-Biblica, ou seja, nem a Bíblia sustenta que ela seja a única fonte de fé para um Cristão.

A Palavra de Deus nos diz "Seja Deus verdadeiro e TODO HOMEM mentiroso" (Rm 3.4). Eu gostaria de comentar algumas das afirmações desse quadro:

1) Jesus edifica uma igreja, como explicado acima, a igreja invisível composta por todos os que são templos do Espírito Santo de Deus, e não uma instituição religiosa;

2) Tradição, no grego, não traz a idéia que temos hoje, mas simplesmente que o ensino oral que ainda não havia sido colocado no papel condizia com as Escrituras. É por isso que Paulo louvou os bereanos por confrontarem com as Escrituras o que ele dizia (At 17.11). Além do mais, Pedro também condenou a tradição como sendo aquilo que nos salva...

"Sabendo que näo foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vä maneira de viver que por tradiçäo recebestes dos vossos pais, mas com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro imaculado e incontaminado" (1Pe 1.18-19)

3) A igreja é coluna da verdade no sentido de propagar e sustentar a verdade contida nas Escrituras.

Coluna, do grego stulos, significa "suporte" ou seja, aquilo que apóia a verdade. Em Gl 2.9, Pedro e João são considerados por Paulo como "colunas" ou seja, "pilares" da igreja. Isso não significa que a igreja não existiria sem eles, mas que eram eles que davam suporte à igreja. A igreja é coluna da verdade no sentido em que ela deve manter a verdade tal como ela é, e não distorcê-la, coisa que como vimos acima, a ICR falhou em fazer.

Sustentáculo, do grego hedraioma, significa "base" da verdade. Traz a mesma idéia acima.

Devemos ter uma coisa em mente: Se a igreja católica deixar de existir, a verdade de Deus ainda continua nas Escrituras. Portanto, arrogar para si que a Verdade de Deus depende da ICR para existir, é mentira. Agora, se a ICR algum dia foi coluna e sustentáculo da verdade ela deixou de ser, pois há muito tempo se desviou da Palavra de Deus.

4) Não é a igreja quem edifica o livro, mas o próprio poder de Deus quem o preservou e o revelou ao homem. O homem descobriu o cânon que Deus quis que fosse descoberto, e não a igreja que "definiu" o cânon que Deus desconhecia. Devemos ter em mente aqui a soberania de Deus, e não o poder humano. Além do mais, os apócrifos não eram aceitos pela ICR como inspirados até a contra reforma, no Concílio de Trento. Porquê?

Sobre a coluna SOLA SCRIPTURA, várias das afirmações ali são infundadas, porém, convém comentar uma delas.

O livro edifica a igreja. Jesus nos diz, em João 17.17, orando a Deus: "Santifica-os na verdade. A Tua Palavra é a Verdade." Jesus NUNCA disse que a tradição era a verdade, mas disse que a Palavra era a Verdade. Portanto, eu fico com aquilo que Ele, sendo Deus, disse, e não com o que homens dizem. Outro ponto...

"Purificando as vossas almas pelo Espírito na obediência à VERDADE, para o amor fraternal, näo fingido; amai-vos ardentemente uns aos outros com um coraçäo puro; sendo de novo gerados, näo de semente corruptível, mas da incorruptível, pela PALAVRA DE DEUS, viva, e que permanece para sempre." (1Pedro 1.22-23)


Vemos claramente que Pedro nos diz que somos purificados pelo Espírito na obediência à Verdade (A Palavra de Deus é a Verdade) e fomos GERADOS (nova criação - 2 Cor 5.17) pela Palavra de Deus, pois se somos salvos pela graça, mediante a fé (Ef 2.8), e se a fé vem pelo ouvir, e o ouvir pela Palavra de Deus (Rm 10.17), logo, a Palavra de Deus é suficiente para salvar e para santificar a todos quantos pertençam a Cristo e constituam a igreja invisível formada pelo que têm o Espírito Santo habitando em si.

Vejamos o que Paulo diz a Timóteo:

"Tu, porém, permanece naquilo que aprendeste, e de que foste inteirado, sabendo de quem o tens aprendido, e que desde a tua meninice sabes as sagradas Escrituras, que podem fazer-te sábio para a salvaçäo, pela fé que há em Cristo Jesus." (2 Tm 3.14-15)


Essa VERDADE é, com toda a certeza, um balde de água fria para qualquer católico. Paulo está dizendo a Timóteo que o que ele conhecia do AT, e que havia sido passado a ele por sua mãe e avó (2Tm 1.5) podia torná-lo sábio para a salvação! Todo o NT foi construído em cima de profecias acerca do Messias contidas no AT e cumpridas na pessoa de Jesus. Portanto, até mesmo o AT (por exemplo, Isaías 53) apontava para a salvação em Cristo Jesus.

A questão da salvação nas Escrituras não está relacionada em primeiro lugar com o que praticar ou deixar de praticar, mas sim, em conhecer o Salvador!

"Na verdade, na verdade vos digo que quem ouve a minha palavra, e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna, e näo entrará em condenaçäo, mas passou da morte para a vida." (Jo 5.24)

Outro ponto é: Será que alguém, hoje, poderia ser salvo se possuísse somente o evangelho de João em mãos? Vejamos...

"Jesus, pois, operou também em presença de seus discípulos muitos outros sinais, que näo estäo escritos neste livro. Estes, porém, foram escritos para que creiais que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e para que, crendo, tenhais vida em seu nome." (Jo 20.30-31)


E a resposta é SIM! João escreveu seu evangelho exatamente para isso! Para que as pessoas conhecem o Salvador e suas obras e cressem nele para serem salvos. A ICR usa esse versículo para dar base à tradição dizendo que havia outros ensinamentos de Jesus que somente os apóstolos conheciam e que transmitiram por tradição oral, e não por escrita. Mas o versículo não diz nada sobre "ensinamentos para a salvação ainda não revelados". Ele diz simplesmente que algumas obras de Jesus não foram relatadas, mas que as que foram reveladas eram suficientes para despertar a fé salvífica das pessoas em Jesus Cristo.

Ainda sobre a tradição, se o próprio Papa afirma que alguém pode ser salvo sem a "fé bíblica", então pra quê a necessidade da tradição, da igreja, dos sacramentos, da bíblia, de Cristo?

"CIDADE DO VATICANO, novembro 30, 2005 (Zenit.org). - Quem busca a paz e o bem da comunidade, com uma consciência pura, e mantém vivo o desejo de transcendência, será salvo, mesmo se ele não tem fé bíblica", diz Bento XVI.

Fonte: http://www.zenit.org/article-14695?l=english

"§1260 "Sendo que Cristo morreu por todos e que a vocação última do homem é realmente uma só, a saber, divina, devemos sustentar que o Espírito Santo oferece a todos, sob forma que só Deus conhece, a possibilidade de se associarem ao Mistério Pascal." Todo homem que, desconhecendo o Evangelho de Cristo e sua Igreja, procura a verdade e pratica a vontade de Deus segundo seu conhecimento dela pode ser salvo. Pode-se supor que tais pessoas teriam desejado explicitamente o Batismo se tivessem tido conhecimento da necessidade dele.

Fonte: http://catecismo-az.tripod.com/conteudo/a-z/d/Deus-vontade.html

Nesse ponto, os católicos vão esbravejar dizendo que isso se aplica a quem, sem culpa, não teve a oportunidade de receber o evangelho. E eu questiono: então, pra quê evangelizar, se isso significa colocar sobre as pessoas que poderiam se salvas sem o conhecimento do evangelho, o peso da condenação por rejeitá-lo após ter conhecimento dele?

Além do mais, vejamos:

"Quem crê nele näo é condenado; mas quem näo crê já está condenado, porquanto näo crê no nome do unigênito Filho de Deus." (Jo 3.18)

Claramente, vemos que não é o fato de a pessoa conhecer ou não, rejeitar ou não e evangelho que a condena. Vemos que quem não crê JÁ ESTÁ CONDENADO!!

Paulo nos diz, em Ef 2.3, que "éramos por NATUREZA filhos da ira", e em Rm 2...

11 Porque, para com Deus, näo há acepçäo de pessoas.
12 Porque todos os que sem lei pecaram, sem lei também pereceräo; e todos os que sob a lei pecaram, pela lei seräo julgados.
13 Porque os que ouvem a lei näo säo justos diante de Deus, mas os que praticam a lei häo de ser justificados.
14 Porque, quando os gentios, que näo têm lei, fazem naturalmente as coisas que säo da lei, näo tendo eles lei, para si mesmos säo lei;
15 Os quais mostram a obra da lei escrita em seus coraçöes, testificando juntamente a sua consciência, e os seus pensamentos, quer acusando-os, quer defendendo-os;
16 No dia em que Deus há de julgar os segredos dos homens, por Jesus Cristo, segundo o meu evangelho.

1) Deus não salva uns de um jeito e outros de outro. Só isso já é suficiente para destruir os argumentos de que alguns podem ser salvos SEM A FÉ BÍBLICA em contraste com os que forma salvos por essa fé nas Escrituras;

2) Os que "sem lei pecarem, sem lei perecerão" nos mostra que mesmo sem a Lei mostrada na bíblia, a pessoa "perecerá" por causa de seu pecado, segundo Romanos 6.23, que diz que "o salário do pecado é a morte";

3) Os que "sob a Lei pecarem, sob a Lei serão julgados" nos mostra que a Lei (ESCRITA) será um parâmetro pelo qual os homens serão julgados. E segundo Rm 3.23 (Todos Pecaram!) vemos que todos estão sujeitos à punição justa e devida (MORTE - Rm 6.23);

4) Quem "ouve" a Lei não é justo diante de Deus, mas os que a praticam hão de ser justificados. Aqui é importante ressaltar duas coisas:

i) Paulo está num discurso crescente. Não podemos considerar esse versículo isoladamente sem considerar os próximos. Não há obediência perfeita à Lei em ninguém (Rm 3.10), pois qualquer que tropeçar num só ponto a quebra por completo (Tg 2.10) e ainda, "Deus encerrou a TODOS debaixo da desobediência (Rm 11.32) quando decretou que "em Adão TODOS pecaram";

ii) Sendo assim, o versículo 13 de Rm 2 nos mostra que a Lei só justificaria alguém se houvesse perfeita obediência a ela durante toda a vida e que a pessoa deveria ainda ter uma natureza perfeita que também não o condenasse, ou seja, impossível! Isso só foi possível para Jesus, porque ele era Deus, perfeito e sem inclinação pecaminosa. Paulo não abre uma brecha pra dizer que a Lei justifica (na verdade se fosse isolar esse versículo do contexto, é isso o que ele quer dizer), mas quando analisamos os restante de seus argumentos, logo no versículo seguinte, e no capítulo 3 de Rm, vemos claramente que "ninguém obedece à lei perfeitamente".

" Logo, a lei é contra as promessas de Deus? De nenhuma sorte; porque, se fosse dada uma lei que pudesse vivificar, a justiça, na verdade, teria sido pela lei." (Gl 3.21)


Não nos esqueçamos que a "lei" citada em Romanos é a mesma de Gálatas, portanto...


"Sabendo que o homem näo é justificado pelas obras da lei, mas pela fé em Jesus Cristo, temos também crido em Jesus Cristo, para sermos justificados pela fé em Cristo, e näo pelas obras da lei; porquanto pelas obras da lei nenhuma carne será justificada." (Gl 2.16)


O homem é justificado "pela fé" em quem? Em Jesus Cristo! Portanto, sem o nome de Jesus Cristo, ou melhor, sem a FÉ BÍBLICA, sem chance de salvação para quem quer que seja.

5) Os gentios, "que não têm lei" dada oficialmente a eles, mostram a lei NATURAL de Deus escrita em seus corações, portanto, são indesculpáveis em dizer que "não sabiam" o que era o mal ou o bem, pois "sua consciência os acusa ou os defende", e agora eles se enquadram no "os que sob a lei pecaram" sendo "lei para si mesmos", porque Deus colocou Sua lei natural no coração de TODOS de modo que ninguém seja inocentado de seus pecados quando for julgado.

6) Os homens serão julgados "segundo o evangelho", que são as boas novas de salvação através de Jesus Cristo. Portanto, essa "inútil tentativa" que os católicos fazem de defender o que sua igreja diz, cai por terra aqui. 

O índio não será julgado pela lei judaica, mas sim pela lei natural de Deus escrita em seu coração. E lembremo-nos que Deus não julga uns de um jeito e outros de outro. Portanto, esse índio será culpado por suas falhas no final das contas sim. Deus seria injusto se não punisse um pecado sequer de uma pessoa sequer no fim das contas, e ainda por cima, salvasse a pessoa que morreu em dívida com Ele.

O que Paulo expõe em Rm 2 é exatamente contrário ao que a ICR ensina. Mas, como os católicos têm outra fonte de autoridade (a tradição) e não estão nem aí para o que a bíblia diz caso isso contradiga o que a "SANTA TRADIÇÃO" ensina, somente Deus pode dar a eles olhos para ver a Verdade e ouvidos para ouví-la.

Vemos então que os católicos estão mais encrencados do que pensam, pois segundo eles, as pessoas não precisam nem mesmo do evangelho para serem salvas. Basta ter boa vontade. Fala sério...

Agora vejamos, como o autor do artigo, que nesse ponto já foi devidamente refutado sobre a suficiência das Escrituras e sobre os erros da tradição e dos ensinamentos da ICR, distorce textos bíblicos para provar seu ponto de vista.

 Esse é o relato de Josué:

“E Josué disse a todo o povo: Eis o que DIZ o Senhor, Deus de Israel: outrora, vossos ancestrais, Taré, pai de Abraão e de Nacor, habitavam além do rio e serviam a deuses estrangeiros.” (Josué capítulo 24 verso 2, Bíblia versão Ave Maria)

Bem, Josué era sucessor de Moises e seguidor do Pentateuco, parece-me que ele se utilizou de uma informação que não estava escrito no Pentateuco! Pois em nenhum momento no livro de Gêneses faz tal afirmação de que (TARÈ) pai de Abraão descendente de (NOÈ) haveria prestado culto a um deus estrangeiro. Parece-me que a SOLA de Josué não era tão SOLA assim.


Deixe-me perguntar uma coisa? Só pelo fato de algum tipo de tradição (ensino oral) ter sido citada nas Escrituras isso valida TODA a tradição como também inspirada? Se formos por esse caminho, então, tudo aquilo que foi citado (assassinatos, roubos, adultérios, poligamia) na bíblia passa a ser aceito. Imagina só, se os católicos estivessem com a razão?

O raciocínio dos católicos funciona mais ou menos assim...

Deus proibiu a confecção de ídolos, mas Ele mesmo mandou fazer ídolos, então, vamos fazer ídolos!!

Agora vejamos se isso for aplicado a outro assunto...

Deus proibiu que matássemos pessoas, porém, Ele mandou que pessoas fossem mortas, então, vamos matar pessoas!!

E não foi isso o que aconteceu na Idade Média? Santa Inquisição em "nome de Deus"?

Vamos agora partir para o livro de um dos maiores Profetas de Israel, vamos ler um texto do livro de Ezequiel:

“Ainda que houvesse nessa terra Noé, Daniel e , esses três homens só salvariam a si próprios, devido à sua justiça - oráculo do Senhor Javé.” (Ezequiel capítulo 14 verso 14, Bíblia versão Ave Maria

Podemos observar nesse texto, o Profeta Ezequiel citando o nome de 3 homens justo perante a justiça divina; (NOÈ) todos nós sabemos quem era esse personagem, () também sempre foi um personagem bem conhecido, e (DANIEL)? Será que esses hereges protestantes acreditam que ele se referia ao Profeta Daniel que nessa época era muito mais jovem que Ezequiel e nem imaginava que seria um grande Profeta do AT? Mas retirando os surtos protestantes, esse Daniel era só um personagem heróico da tradição Hebraica, segundo a tradição, esse personagem se encontrava em alguns poemas fenício. Parece-me que a SOLA de Ezequiel não era tão SOLA assim.

Bem, podemos observar que no (AT) a Sola Scriptura era coisa de lunáticos.

Vemos claramente que a citação de algo extra-bíblico não valida a tradição, conforme mostrado acima. Porém, devemos notar algo aqui, que é o tom de deboche do autor, típico de católicos que ODEIAM a idéia de que somente as Escrituras devem reger nossa vida. Isso só nos mostra a condição de seus corações, de maior amor à coisas criadas por homens que têm em si aparência de piedade do que à Palavra de Deus.

Eu vou passar agora para o (NT), será que Jesus Cristo e os Apóstolos seguiam essa heresia desgraçada chamada SOLA SCRIPTURA?  

Heresia desgraçada? Até agora, a única "heresia" provada aqui foram os ensinamentos distorcidos da ICR, nada mais. Além de seu ódio pelos protestantes.

Alguns sites protestantes produzidos por alguns lunáticos dizem que no (NT) era usado apenas o que (Estava Escrito) no (AT); Será que realmente isso é verdade? Lógico que não; esses lunáticos apenas omitem onde diz que se pregavam tradição oral além da escrita.


Sites e afirmações protestantes também estão sujeitas à falhas. E tomar o que alguns protestantes dizem como verdade para todos é, no mínimo, insensato. Novamente vemos o uso do termo pejorativo.

Vou dar um exemplo clássico; em um só versículo Bíblico podemos observar Jesus Cristo pregando uma tradição (ESCRITA) e uma tradição (ORAL).

“Tendes ouvido o que foi dito: Amarás o teu próximo e poderás odiar teu inimigo.” (Mateus capítulo 5 verso 43, Bíblia versão Ave Maria

Amar teu próximo tudo bem estava escrito no Antigo Testamento (Levítico 19-18); e essa de (poderá odiar seus inimigos), onde estava escrito mesmo? Em nenhum lugar; por isso Nosso Senhor diz (ouvistes o que fora DITO). Sendo assim, Nosso Senhor Jesus Cristo jamais foi adepto dessa desgraça chamada SOLA SCRIPTURA.

  • Amaras teu próximo ().tradição escrita
  • Odiar seus inimigos (tradição oral). 


Vejamos o mesmo versículo em outra versão:

"Vocês ouviram o que foi dito: 'Ame o seu próximo e odeie o seu inimigo'". (NVI)

Quando Jesus diz "vocês ouviram o que foi dito" ele não está validando a tradição oral, mas condenando-a. Ele de fato cita a tradição, mas ao mesmo tempo a condena. O NT cita coisas que não estão contidas nas Escrituras, mas novamente, isso não torna válido tudo aquilo que vem "de fora".

O que Jesus citou mostrava uma clara incompreensão da palavra "próximo". Para os judeus, o "próximo" era o amigo, mas não o inimigo. Foi por isso que os judeus questionaram Jesus perguntando "quem é o meu próximo?" (Lc 10.29). A explicação de Jesus, na parábola do bom Samaritano é uma resposta aos fariseus de que o próximo não é somente o amigo, mas todos.

Eles pensavam que deveriam amar os amigos e odiar os inimigos (Comentário de John Gill)

http://www.studylight.org/com/geb/view.cgi?book=mt&chapter=005&verse=043).

É por isso que Jesus, logo no versículo seguinte diz:

" Eu, porém, vos digo: Amai a vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam, e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem; para que sejais filhos do vosso Pai que está nos céus." (Mt 5.44)

Procurar entender o contexto é bom meu caro amigo católico, mas novamente, uma citação extra-bíblica na bíblia não valida todas as outras.

Mas poderá vir um herege e tentar refutar com outras alucinações do tipo: (Jesus Cristo sendo o Verbo encarnado poderia usar tradição oral, mas os Apóstolos só seguiam a SOLA SCRIPITURA), então eu mostrarei que os Apóstolos também não eram adeptos dessa heresia.

E veio habitar na cidade de Nazaré para que se cumprisse o que foi dito pelos profetas: Será chamado Nazareno.” (Mateus capítulo 2 verso 23, Bíblia versão Ave Maria)

No Evangelho segundo Mateus foi citado uma profecia (DITA PELOS PROFETAS), “Ele será chamado nazareno”; o mais estranho é que não há nenhum livro do (AT) seja ele canônico ou apócrifo transmitindo tal profecia.

Bem, para Jesus Cristo e São Mateus a SOLA não era tão SOLA assim, eles também seguiam o as tradições orais.

Vejamos:

"A citação ele será chamado Nazareno, anotada pelo evangelista no verso 23 como cumprida no fato de Jesus residir em Nazaré, há muito é considerada um enigma, pois tais palavras simplesmente não existem no Antigo Testamento. Mas o fato de que o evangelista introduz a afirmação como tendo sido dito por intermédio dos profetas pode ser uma indicação de que ele não estava querendo fazer uma citação verbal exata, mas sim apontar em termos gerais que ela estava inteiramente de acordo com o que os profetas haviam predito, que Jesus deveria vir a ser conhecido como “Jesus de Nazaré”.

Tal designação dele foi no início um termo de escárnio e desprezo (ver João 1.46 - "Perguntou Natanael: Nazaré? Pode vir alguma coisa boa de lá?"). Aliás, Isaías tinha profetizado que o Sevo do Senhor seria desprezado pelos homens. Parte do “cumprimento”, portanto, desta e de outras passagens do Antigo Testamento, está no desprezo por Jesus demonstrado pelas autoridades religiosas de Israel por causa das associações dele com o que consideravam sua origem provincial.

 Esta foi a explicação da passagem dada por Jerônimo e provavelmente esteja correta."

Fonte:
 
R. V. G. Tasker. Mateus: introdução e comentário. Série Cultura Bíblica. São Paulo: Vida Nova/Mundo Cristão, 1985, p. 35, 36.                          

A fórmula de citação de Mateus 2.23 difere da que aparece, por exemplo, em Mateus 1.22; 2.15,17, onde Mateus cita de fato as palavras dos profetas. Mateus 2.23 parece sugerir que um tema profético, e não uma  predição específica, estava na mente do escritor sagrado.

A afirmação de Cris Macabeus em seu artigo é infundada ao dizer que nenhum livro do AT transmitiu tal profecia.

Agora eu vou passar para o livro de (ATOS).

“Em tudo vos tenho mostrado que assim, trabalhando, convém acudir os fracos e lembrar-se das palavras do Senhor Jesus, porquanto ele mesmo disse: É maior felicidade dar que receber!” (Atos dos Apóstolos capítulo 20 verso 35, Bíblia versão Ave Maria)

Nesse capítulo do livro de Atos, podemos perceber São Lucas citando uma pregação de São Paulo segundo um ensinamento de Jesus Cristo (È maior felicidade dar que receber), lembrando que São Lucas já era de uma terceira geração de discípulos e seu Evangelho foi concluído em cima da tradição oral, mesmo assim, ele cita um ensinamento de Jesus que não consta em nenhum dos Evangelhos Canônicos, nem em seu próprio Evangelho, estranho, pois SOLA SCRIPTURA é SOLA SCRIPTURA não tem espaço para nada que não tenha sido escrito e segundo os protestantes, pregar outro Evangelho seria anátema! Será que São Lucas era anátema? Lógico que não; para se entender devemos prestar a atenção no que São Lucas cita diz: (lembre-se das palavras do Senhor Jesus), para quem estuda sabe que essas palavras de Jesus saíram de uma fonte chamada (conjunto de palavra de Jesus) transmitida pelos Apóstolos e usados pelos autores dos Evangelhos. Ou seja, tradição oral.

Será mesmo? Neste versículo Lucas está citando as palavras exatas, ou parafraseando um ensinamento de Jesus? O ensinamento de que é melhor dar do que receber?

" Amai, pois, a vossos inimigos, e fazei bem, e emprestai, sem nada esperardes, e será grande o vosso galardäo, e sereis filhos do Altíssimo; porque ele é benigno até para com os ingratos e maus." (Lucas 6.35)

"E serás bem-aventurado; porque eles näo têm com que to recompensar; mas recompensado te será na ressurreiçäo dos justos." (Lucas 14.14)


Os argumentos dissimulados de nosso caro Cris Macabeus já estão começando a demonstrar uma completa falta de conhecimento acerca das Escrituras. Porém, para o leitor que conhece muito pouco das Escrituras, essa é uma armadilha fácil.

Continuando com o livro de Atos, podemos ler:

“Faz algum tempo apareceu um certo Teudas, que se considerava um grande homem. A ele se associaram cerca de quatrocentos homens: foi morto e todos os seus partidários foram dispersados e reduzidos a nada. Depois deste, levantou-se Judas, o galileu, nos dias do recenseamento, e arrastou o povo consigo, mas também ele pereceu e todos quantos o seguiam foram dispersados.” (Atos dos Apóstolos capítulo 5 versos 36-37, Bíblia versão Ave Maria)    

Meus irmãos, quem foi (Teudas) e quem foi (Judas Galileu)? Qual o livro que narra a historia desses dois personagens? Será que no próprio Evangelho de Lucas é narrada alguma coisa sobre Judas Galileu durante o recenseamento? Eu nunca li nada sobre esse tal Judas Galileu nos Evangelhos, parece-me que São Lucas não era muito a favor da SOLA!


Novamente... será que citar nomes que nunca apareceram nas Escrituras, ou seja, um conhecimento que veio de fora das Escrituras, aprova toda e qualquer tradição? Não, não aprova, ainda mais porque prostestantes não são contra a tradição, mas sim contra a tradição que seja provada falsa e desvirtuada do ensino contido nas Escrituras.

"Ora, estes foram mais nobres do que os que estavam em Tessalónica, porque de bom grado receberam a palavra, examinando cada dia nas Escrituras se estas coisas eram assim." (Atos 17.11)

Aos bereanos Paulo chama de "NOBRES" por verificarem nas Escrituras se o que ele ensinava estava de acordo com as Escrituras. Esse é o princípio da Sola Scriptura. Será que Paulo chamaria os católicos de "NOBRES" hoje? Será que os católicos comparam TUDO o que lhes é ensinado com a Palavra de Deus?

"Näo desprezeis as profecias. Examinai tudo. Retenham o que é bom." (1 Ts 5.20-21)

Com base em que parâmetro devemos provar os falsos ensinamentos? Ora, comparando seus ensinamentos com as Escrituras! Todo bom judeu e gentio tementes a Deus faziam isso!

"À lei e aos PROFETAS ( = AT)! Se eles näo falarem segundo esta palavra, é porque näo há luz neles." (Isaías 8.20)

Ao contrário do que pensam os católicos, Sola Scriptura não significa tapar os ouvidos pra tudo, mas sim, provar tudo para ver se está de acordo com a única regra de fé e verdade deixada por Deus. E na verdade, é isto o que estou fazendo aqui. Comparando os ensinamentos do Sr. Cris Macabeus com as Escrituras, e até agora vimos que ele não tem falado segundo as Escrituras, mas já foi muito além delas.

Eu irei partir agora para as cartas Paulinas:

 “Como Janes e Jambres resistiram a Moisés, assim também estes homens de coração pervertido, reprovados na fé, tentam resistir à verdade.” (II Timótio capítulo 3 verso 8, Bíblia versão Ave Maria)

Quem foi (JANES) e quem foi (JAMBRES)? Algum protestante pode me citar o capítulo e versículo do Pentateuco onde cita esses dois personagens? Se não foi escrito é sinal que foi transmitido oralmente por séculos, parece que São Paulo também não era adepto dessa desgraça chamada SOLA SCRIPTURE.

Ver refutação acima.

Eu irei agora pegar as cartas Católicas:

“Ora, quando o arcanjo Miguel discutia com o demônio e lhe disputava o corpo de Moisés, não ousou fulminar contra ele uma sentença de execração, mas disse somente: Que o próprio Senhor te repreenda!” (Judas capítulo 1 verso 9, Bíblia versão Ave Maria)

Já imaginaram se tivesse algum protestante no meio dos Cristãos no momento que São Judas pregava esse fato sobre o corpo de Moises? Na hora esse protestante levantaria com sua Bíblia (que não existia na época) e começaria a questionar São Judas perguntando:

ONDE ESTÁ na Bíblia (AT) que o corpo de Moises foi disputado pelo Anjo e o demônio?

Bem, São Judá também cita uma profecia de Henoc.

“Também Henoc, que foi o oitavo patriarca depois de Adão, profetizou a respeito deles, dizendo: Eis que veio o Senhor entre milhares de seus santos.” (Judas capítulo 1 verso 14, Bíblia versão Ave Maria)

Meus irmãos Católicos, Desde quanto (Henoc) deixou um livro escrito? Existia escrita na época de (Henoc)?

Parece que a SOLA de São Judas também não era tão SOLA assim.

Meu caro amigo, parece que falta a você a verdadeira noção do que seja a Sola Scriptura. Parece-me que aqueles de quem você se alimentou te deram um alimento podre que não condiz com a verdade.

Nós, protestantes, não rejeitamos a tradição histórica. Nós rejeitamos a tradição que contradiga doutrinas que são apresentadas nas Escrituras, doutrinas que estão fora das Escrituras e doutrinas que surgem como uma nova "revelação" em adição às escrituras.

O problema não são fatos históricos, mas questões de ordem moral, pratica e religiosa. Tudo o que está na bíblia é mais do que suficiente para mostrar ao homem como ser salvo, como conhecer o salvador, e como se portar moralmente perante a sociedade.

O que enfurece os católicos é o fato de nós, protestantes, não aceitarmos os "dogmas" e ensinamentos católicos extra-bíblicos. Porém, se considerarmos tudo o que foi exposto sobre a igreja acima, que não se trata de uma instituição tal como a ICR é vista, a ICR passa a ser inútil.

Ora, se a pessoa tem acesso direto a Deus, sendo salva pela graça, mediante a fé em Cristo, sem as obras (Ef 2.8-10; Tt 3.5), então pra quê precisamos da ICR?

Note, caro leitor, que a bíblia nos aponta somente UM CAMINHO para a salvação, que é a fé, ou melhor, a confiança em Jesus Cristo como único e suficiente salvador em em sua perfeita obra como única e suficiente para a salvação perfeita do homem (Hb 7.25). Porém, vejamos o que a ICR ensina sobre como ser salvo:

"Somente através da Igreja Católica pode ser atingida toda a plenitude dos meios de salvação. - II Concílio do Vaticano, Decr. Ad gentes, 6: AAS 58 (1966) 953." (Catecismos #816; 846; #824; #830)

Afinal de contas, Jesus é o único Caminho, ou ele se esqueceu de citar os outros "meios"? Isso é só pra mostrar o quanto a ICR faz das pessoas seus reféns caso queiram chegar à salvação. Porém, pelo caminho errado, sem chance.

 Agora eu pergunto para esses hereges, alguma vez seus pastores pregaram tais textos Bíblicos em seus cultos? SOLA SCRIPTURA é SOLA SCRIPTURA, tudo tem que estar escrito, nada pode ser retirado fora do que está em tal conjunto de livros e pelo que me parece os Apóstolos usavam fontes fora dasEscrituras, sinal de que eles não eram adeptos dessa desgraça chamada SOLA SCRIPTURA.

O princípio da Sola Scriptura não é que tudo esteja escrito, mas sim que tudo o que é ensinado esteja de acordo com a Palavra de Deus, sem contradições. Porque, se há contradições, é porque não procede de Deus! É o mesmo que tentar descobrir se uma nota de R$50,00 é falsa. Como devemos fazer? Comparar as duas entre si. Se elas diferirem entre si, então, uma das duas é falsa. E se os católicos não questionam a inspiração das Escrituras, então, a tradição deve ser comparada com esse padrão de inspiração.

Católicos
deveriam estudar o correto antes de atacar o que desconhecem. Isso só prova sua ignorância e cegueira espiritual, que promovem o ódio pelo princípio da Sola Scriptura.

Observem como os protestantes são mestres em transformar uma GRAÇA em DESGRAÇA. 

Escrituras = graça.

Só as Escrituras = desgraça.

Vamos analisar os argumentos desses rebelados para tentar defender a heresia da SOLA SCRIPTURA.

Rebelados? Jesus alguma vez chamou alguém de rebelado? Ele ensinou isso? Meu amigo, onde está o "amar o próximo como a ti mesmo" aqui?

“E desde a infância conheces as Sagradas Escrituras e sabes que elas têm o condão de te proporcionar a sabedoria que conduz à salvação, pela fé em Jesus Cristo.Toda a Escritura é inspirada por Deus, e útil para ensinar, para repreender, para corrigir e para formar na justiça. Por ela, o homem de Deus se torna perfeito, capacitado para toda boa obra.” (II Timótio capítulo 3 versos 15-16-17, Bíblia versão Ave Maria)

Até parece que esses protestantes são humoristas, o que tem a ver ser inspirado com ser única fonte de fé? Como eu coloquei na introdução do tópico, jamais um Católico irá questionar a inspiração Divina de qualquer Escritura, seja ela canônica ou até escritos dos Padres da Igreja, tanto é verdade que fazemos (3) leituras diárias do Cânon Bíblico, o questionamento não está na inspiração das escrituras e sim em elas serem a única fonte de fé Cristã, ainda mais sabendo que essas Escrituras citadas por São Paulo não tinha nada a ver com Cânon Bíblico.


Até aqui já demonstrei várias contradições entre os ensinamentos da ICR e a bíblia, o que coloca a ICR em maus lençóis. Quanto às Escrituras serem a única fonte de fé? Vejamos...

"Mas nós näo recebemos o espírito do mundo, mas o Espírito que provém de Deus, para que pudéssemos conhecer o que nos é dado gratuitamente por Deus. As quais também falamos, näo com palavras de sabedoria humana, mas com as que o Espírito Santo ensina, comparando as coisas espirituais com as espirituais." (1 Cor 2.12-13)

Aqui está o princípio da Sola Sciputura bem claro nas Escrituras, e somente um cego não enxerga.

1) Recebemos o Espírito Santo para que pudéssemos conhecer o que Deus nos dá, e isso inclui o conhecimento de Sua Palavra (Lc 24.45; At 16.14);

2) Devemos comparar as coisas espirituais com as espirituais.

A Palavra de Deus é a VERDADE (Jo 17.17), e se, como os católicos dizem, os escritos não canônicos e os escritos dos Pais da Igreja são inspirados, então, devemos comparar os ensinamentos para ver se não há contradição entre eles. Se houve, é porque as fontes de inspiração são diferentes entre si.

Além do mais, a "revelação" acerca das escrituras, cessou com a morte do apóstolo João, que foi o último apóstolo a morrer, pois o próprio Paulo disse:

"Assim, como já vo-lo dissemos, agora de novo também vo-lo digo. Se alguém vos anunciar outro evangelho além do que já recebestes, seja anátema." (Gl 1.9)

"Mas temo que, assim como a serpente enganou Eva com a sua astúcia, assim também sejam de alguma sorte corrompidos os vossos sentidos, e se apartem da simplicidade que há em Cristo. Porque, se alguém for pregar-vos outro Jesus que nós näo temos pregado, ou se recebeis outro espírito que näo recebestes, ou outro evangelho que näo abraçastes, com razäo o sofrereis." (2Cor 11.3-4)

Paulo fala de homens tentando nos afastar da "simplicidade que há em Cristo". Que simplicidade é essa?

"Também vos notifico, irmäos, o evangelho que já vos tenho anunciado; o qual também recebestes, e no qual também permaneceis. Pelo qual também sois salvos se o retiverdes tal como vo-lo tenho anunciado; se näo é que crestes em väo. Porque primeiramente vos entreguei o que também recebi: que Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras, e que foi sepultado, e que ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras." (1 Cor 15.1-4)

"Porque näo me envergonho do evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para salvaçäo de todo aquele que crê; primeiro do judeu, e também do grego." (Rm 1.16)

Note que Paulo diz "se o retiverdes tal como vo-lo tenho anunciado". Sem acrescentar nem tirar nada! Só esse versículo é suficiente para destruir todo o ensinamento católico EM ADIÇÃO ao evangelho.

Onde está a complicação para a salvação em Cristo Jesus aqui? Jesus morreu pelos nossos pecados, e ressuscitou para justificação (Rm 4.25) de todo aquele que nele crê, e PONTO FINAL! Sem complicação! Somos salvos pela graça (não havia mérito em nós), mediante a fé (que é o instrumento pelo qual temos acesso à graça - Rm 5.2), não por obras, para que ninguém se glorie (não há mérito da parte do homem na salvação) - Ef 2.8-9.

O sacrifício de Cristo já nos tornou aceitos ao Pai, mediante a fé! (Hb 10.14)

Agora, vejamos, como é "simples" ser salvo na ICR...

1) Para iniciar esse processo, Deus concede a graça real a uma pessoa que lhe permite crer em Cristo (CCC 2000) e também crer na Igreja Católica (CIC 1814).

2) Depois de crer, a pessoa deve ser batizada, o que é necessário para a salvação (CCC 1257).

3) Este batismo apaga o pecado original (CCC 405), une a pessoa com Cristo (CCC 977), infunde a graça na a pessoa (CCC 1999), e concede justificação (CCC 1992, 2020).

4) Depois do batismo, ele é salvo. Mas, para manter a sua salvação é necessário para ele realizar boas obras (CCC 2010, 2068, 2080) e participar dos sacramentos (CCC 1129) que fornecem graça que é "própria de cada sacramento" (CIC 1129, 2003).

5) Isto é necessário de modo a manter a graça infundido (CCC 987, 1468). No entanto, a graça pode ser diminuída por pecados veniais ou completamente perdido por pecados mortais.

6) Os pecados veniais (CCC 1862) removem parte da graça infundido, mas não a graça salvadora conhecida como a graça santificante (CCC 1863).

7) Para solucionar o problema dos pecados veniais, a Igreja Católica leva o pecador à Eucaristia e também a executar penitência.

8) A Igreja Católica ensina que também perdoa pecados veniais (CCC 1416, 986).

9) No entanto, a penitência deve ser feita com a contrição perfeita (CCC 1452).

10) Mas há um problema. Mesmo que os pecados que são absolvidos por um padre (CCC 1463, 1495) em confissão (CCC 1456, 1493), a punição devida da pessoa por causa de seu pecado permanece.

11) Para lidar com essa punição restante, indulgências são administradas para lidar com a punição devido à culpa dos pecados já perdoados (CCC 1471, 1498).

12) Essas indulgências aproveitam as "boas obras da Bem-aventurada Virgem Maria" (CCC 1477) e "de Cristo e dos santos", de modo a obter a "remissão da pena temporal devida pelos seus pecados" (CIC 1478).

13) Além disso, as indulgências podem ser aplicadas para si ou para os mortos (CCC 1471) que estão no purgatório (CCC 1498).

14) Agora, se a pessoa cometeu um pecado mortal, então toda sua graça infundido está perdido. Para recuperar a esta graça, ele deve participar da penitência (CCC 980, 1496), uma vez que esta ajuda a restaurar a graça que foi perdida (CCC 1468, 1496).

Resumindo:

1) deve ter fé em Cristo e na Igreja Católica Romana;

2) participar dos sacramentos;

3) receber a Eucaristia;

4) Guardar os mandamentos;

5) fazer penitência

6) fazer as indulgências, a fim de atingir, manter, e recuperar a salvação, bem como reduzir o castigo que lhe era devida pelos pecados dos quais ele já foi forgiven.catecismo da Igreja catolica (CCC 2068).

Meu Deus!! UFA!! Tenho certeza que esqueci de alguma coisa em meio a tantas regras, mas de qualquer forma, já é suficiente para ilustrar o tamanho da CARGA que vocês, católicos, carregam nos ombros e da incerteza e medo se tropeçarem num desses pontos.

Será que Deus se esqueceu de mencionar TODOS esses "meios" para a Salvação do homem nas Escrituras?? O que fazemos com as pessoas que foram salvas sem esses passos no NT? E porque alguns desses meios só foram "oficializados" séculos depois de Cristo??

Vejamos então outro texto para dar proseguimento à refutação da tradição como "necessária" para a salvação. Cito aqui, Efésios 6:

13 Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, havendo feito tudo, ficar firmes.
14 Estai, pois, firmes, tendo cingidos com o cinto da verdade [PALAVRA DE DEUS - Jo 17.17], e vestida a couraça da justiça;
15 E calçados os pés na preparaçäo do evangelho da paz;
16 Tomando sobretudo o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do maligno.
17 Tomai também o capacete da salvaçäo, e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus;

Vejamos: Toda a Armadura de Deus = Cinto da Verdade + Couraça da Justiça + Calçados do Evangelho da Paz + Escudo da Fé + Capacete da Salvação + ...

Espada do Espírito, que é a Palavra de Deus??

Onde está a tradição aqui??

Observem que São Paulo diz que (TODA) Escritura é inspirada por Deus, por acaso ele citou algum Cânon? Alguma quantidade de livros? Nomes de tais livros? Claro que não; pois o (NT) estava em desenvolvimento ainda e o (AT) não possuía um Cânon e sim uma biblioteca com milhares de livros, eu vou mostrar o que eram Escrituras na época que São Paulo escreveu a carta para Timótio. 

Além do que nós conhecemos como (AT) para os Hebreus isso tudo eram Escrituras:

01 - Apocalipse de Adão.
02 - Apocalipse de Baruc.
03 - Apocalipse de Moisés.
04 - Apocalipse de Sidrac.
05 - As Três Estelas de Seth.
06 - Ascensão de Isaías.
07 - Assunção de Moisés.
08 - Caverna dos Tesouros.
09 - Epístola de Aristéas.
10 - Livro dos Jubileus.
11 - Martírio de Isaías.
12 - Oráculos Sibilinos.
13 - Prece de Manasses.
14 - Primeiro Livro de Adão e Eva.
15 - Primeiro Livro de Enoque.
16 - Primeiro Livro de Esdras.
17 - Quarto Livro dos Macabeus.
18 - Revelação de Esdras.
19 - Salmo 151.
20 - Salmos de Salomão (ou Odes de Salomão).
21 - Segundo Livro de Adão e Eva.
22 - Segundo Livro de Enoque (ou Livro dos Segredos de Enoque).
23 - Segundo Livro de Esdras (ou Quarto Livro de Esdras).
24 - Segundo Tratado do Grande Seth.
25 - Terceiro Livro dos Macabeus.
26 - Testamento de Abraão.
27 - Testamento dos Doze Patriarcas.
28 - Vida de Adão e Eva.

Sem contar estes outros cuja existência sequer saberíamos se não fossem as descobertas do Mar Morto. Pior ainda é que sabemos que muitos outros foram queimados pelos beduínos:

01 - A Nova Jerusalém (5Q15)
02 - A Sedutora (4Q184)
03 - Antologia Messiânica (4Q175)
04 - Bênção de Jacó (4QPBl)
05 - Bênçãos (1QSb)
06 - Cânticos do Sábio (4Q510-4Q511)
07 - Cânticos para o Holocausto do Sábado (4Q400-4Q407/11Q5-11Q6)
08 - Comentários sobre a Lei (4Q159/4Q513-4Q514)
09 - Comentários sobre Habacuc (1QpHab)
10 - Comentários sobre Isaías (4Q161-4Q164)
11 - Comentários sobre Miquéias (1Q14)
12 - Comentários sobre Naum (4Q169)
13 - Comentários sobre Oséias (4Q166-4Q167)
14 - Comentários sobre Salmos (4Q171/4Q173)
15 - Consolações (4Q176)
16 - Eras da Criação (4Q180)
17 - Escritos do Pseudo-Daniel (4QpsDan/4Q246)
18 - Exortação para Busca da Sabedoria (4Q185)
19 - Gênese Apócrifo (1QapGen)
20 - Hinos de Ação de Graças (1QH)
21 - Horóscopos (4Q186/4QMessAr)
22 - Lamentações (4Q179/4Q501)
23 - Maldições de Satanás e seus Partidários (4Q286-4Q287/4Q280-4Q282)
24 - Melquisedec, o Príncipe Celeste (11QMelq)
25 - O Triunfo da Retidão (1Q27)
26 - Oração Litúrgica (1Q34/1Q34bis)
27 - Orações Diárias (4Q503)
28 - Orações para as Festividades (4Q507-4Q509)
29 - Os Iníqüos e os Santos (4Q181)
30 - Os Últimos Dias (4Q174)
31 - Palavras das Luzes Celestes (4Q504)
32 - Palavras de Moisés (1Q22)
33 - Pergaminho de Cobre (3Q15)
34 - Pergaminho do Templo (11QT)
35 - Prece de Nabonidus (4QprNab)
36 - Preceito da Guerra (1QM/4QM)
37 - Preceito de Damasco (CD)
38 - Preceito do Messianismo (1QSa)
39 - Regra da Comunidade (1QS)
40 - Rito de Purificação (4Q512)
41 - Salmos Apócrifos (11QPsa)
42 - Samuel Apócrifo (4Q160)
43 - Testamento de Amran (4QAm)

Essas eram as Escrituras que São Paulo citava, provas disso é que vários desses livros são citados pelos autores do (AT) e pelos Apóstolos no (NT), logicamente esses são os livros que temos conhecimento, pois vários livros foram totalmente perdidos.


Cabe ao autor estudar melhor para entender o que é que define a canonicidade de um livro inspirado e também citar fontes e provas que atestem suas afirmações categóricas de que Paulo citava tais documentos. E mesmo que ele os citasse, como eu ja disse anteriormente, isso não valida tal escrito como inspirado, mas sim que a parte citada condiz com a verdade geral das Escrituras. Só pra informação, Pedro diz que os escritos de Paulo eram ESCRITURA!

"E tende por salvaçäo a longanimidade de nosso Senhor; como também o nosso amado irmäo Paulo vos escreveu, segundo a sabedoria que lhe foi dada; falando disto, como em todas as suas epístolas, entre as quais há pontos difíceis de entender, que os indoutos e inconstantes torcem, e igualmente as outras Escrituras, para sua própria perdiçäo." (2Pe3.15-16)


E agora eu pergunto, será que é coincidência 2Tm 3.15-16 e 2Pe 3.15-16 (referência iguais) quando comparados nos mostrarem que os escritos de Paulo eram Escritura, e Paulo nos dizer que Toda a Escritura é suficiente?Não devemos nos esquecer que quem escreveu a Palavra de Deus, foi o próprio Deus, nque não está limitado ao tempo. Portanto, quando Deus cita TODA ESCRITURA, Ele está se referindo ao Cânon que de antemão, por Sua présciência, seria considerada canônica e seria guiada por Sua soberania. Não crer nisso, é dúvidar claramente do poder de Deus.

"Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça; para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra." (2Tm 3.16-17)

Além do mais, vejamos o que um site católico diz sobre esses livro mencionado:

"Esses livros, embora não sejam canônicos; isto é, não são Palavra de Deus, nem tenham valor doutrinário, podem, no entanto, esclarecer alguns aspectos históricos da época em que foram escritos ou mostrar as idéias de certos grupos heréticos da época em que foram escritos."

Fonte: http://www.universocatolico.com.br/index2.php?option=com_content&do_pdf=1&id=304

Nunca deixaram de existir falsos livros e falsas mensagens. Por representarem ameaça constante, fez-se necessário que o povo de Deus revisse cuidadosamente sua coleção de livros sagrados. Até mesmo os livros aceitos por outros crentes, ou em tempos anteriores, foram posteriormente questionados pela igreja. São discerníveis cinco critérios básicos, presentes no processo como um todo:

1) O livro é autorizado —afirma vir da parte de Deus?

2) É profético — foi escrito por um servo de Deus?

3) É digno de confiança — fala a verdade acerca de Deus, do homem etc.?

4) É dinâmico — possui o poder de Deus que transforma vidas?

5) É aceito pelo povo de Deus para o qual foi originariamente escrito — é reconhecido como proveniente de Deus?

6) Nenhum livro concedido por Deus pode ser falso. Se um livro que se considera profético apresenta falsidade inquestionável, é preciso que se reexaminem suas credenciais proféticas. Deus não pode mentir. Dessa forma, os outros princípios servem para conferir o caráter profético dos livros do cânon.

Muitos anos depois, passadas algumas gerações de cristãos, alguns destes, mal-informados a respeito da aceitação ou da rejeição pelo povo de Deus dos livros propostos, atribuíram reconhecimento local, temporal a certos livros não-canônicos (e.g., alguns livros apócrifos). O simples fato de um livro qualquer ter sido aceito em algum lugar, por alguns crentes em Cristo, de modo algum constitui prova da canonicidade e da inspiração de tal livro. O reconhecimento inicial de um derminado livro, pelo povo de Deus, que estava na melhor posição possível para testar a autoridade profética desse livro, é elemento de cabal importância. Levou algum tempo até que todos os segmentos das gerações posteriores de cristãos ficassem totalmente informados a respeito das circunstâncias iniciais. Assim, a aceitação por parte desses cristãos posteriores é importante, mas funciona como apoio adicional.

Fonte e leitura adicional: http://introduobiblica.blogspot.com.br/2007/09/aula-5-as-caractersticas-da.html

Portanto meu amigo, há todo um crivo para que um livro seja de fato reconhecido como canônico. Não é porque um judeu possui em sua casa todos os livros citados acima que ele os considera inspirados. Deixo aqui um versículo de II Macabeus pra você e para o leitor avaliarem se, de fato, isto vem de Deus, ou da simples motivação humana.

"... também eu, aqui porei fim ao meu relato. Se o fiz bem, de maneira conveniente a uma composição escrita, era justamente isso que eu queria; se vulgarmente e de modo medíocre, é isso o que me foi possível" (2Macabeus 15.38)

"Se tu puseres um pedacinho do seu coração (do peixe que ele havia apanhado) sobre brasas acesas, o seu fumo afugenta toda a casta de demônios, tanto do homem como da mulher, de sorte que não tornam mais chegar a eles." (Tobias 6.8)

Fala sério né? Afugentar demônios assando um coração de peixe??

Vejamos algumas palavras de católicos acerca das Escrituras:

"Ler a Escritura dentro da Tradição viva da Igreja inteira.

Conforme o ensinamento dos Padres da Igreja, ¨a Sagrada Escritura está escrita mais no coração da Igreja do que nos instrumentos materiais¨. Com efeito, a Igreja leva na sua Tradição, a memória viva da Palavra de Deus, e é o Espírito Santo que lhe dá a interpretação espirital da Escritura (¨... segundo o sentido espiritual que o Espírito dá à Igreja¨) (Orígenes, hom. Lv. 5,5), (§113)."

Se não fosse a Igreja Católica, não existiria a Bíblia como a temos hoje, com os 73 livros canônicos, isto é, inspirados pelo Espírito Santo. Foi num longo processo de discernimento que a Igreja, desde o tempo dos Apóstolos, foi ¨berçando¨ a Bíblia, e descobrindo os livros inspirados. Se você acredita no dogma da infalibilidade de Igreja, então pode acreditar na Bíblia como a Palavra de Deus. Mas se você não acredita, então a Bíblia perde a sua inerrância, isto é, ausência de erro. Esta conclusão nos leva a outra também importantíssima, que é a seguinte: se foi a Igreja, que guiada pelo Espírito Santo, compôs a Bíblia, logo, é ela também a única autoridade capaz de a interpretar segundo o que Deus quis nos dizer de fato.

Fonte: http://www.universocatolico.com.br/index.php?/como-ler-a-biblia.html

Caro leitor, aqui podemos ver, após ja termos lido o quanto a ICR está cheia de erros e contradições quando comparadas à Bíblia, que essa instituição arroga para si aquilo que está muito longe de pertencer a ela.

A ICR condiciona a inerrância da bíblia à inerrância de si mesma. Outro ponto, é que no texto em questão é dito que a igreja é guiada pelo Espírito Santo, e a única fonte de autoridade capaz de interpretar a bíblia segundo o que Deus quiz dizer de fato. Porém, vemos que o conceito de igreja aplica-se a todos que possuem em si o Espírito Santo, que não é atributo exclusivo dessa instituição.

"Näo sabeis vós que sois o templo de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós? (...) Ou näo sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que näo sois de vós mesmos?" (1Cor 3.16; 6.19)

Logo, todo cristão que possui em si o Espírito Santo de Deus consegue entender a Palavra de Deus corretamente, inclusive Timóteo, quando ainda era criança (2Tm 3.14-16).

Os protestantes que acreditam ser uma Bíblia de (66) livros as Escrituras Inspiradas, eu vou mostrar o que era o (NT) até o século (IV).

Apocalipse da Virgem - Apocalipse de João o Teólogo - Apocalipse de Paulo - Apocalipse de Pedro - Apocalipse de Tomé - Atos de André - Atos de André e Mateus - Atos de Barnabé - Atos de Filipe - Atos de João - Atos de João o Teólogo - Atos de Paulo - Atos de Paulo e Tecla - Atos de Pedro - Atos de Pedro e André - tos de Pedro e Paulo - Atos de Pedro e os Doze Apóstolos - Atos de Tadeu - Atos de Tomé - Consumação de Tomé - Correspondência entre Paulo e Sêneca - eclaração de José de Arimatéia - Descida de Cristo ao Inferno - Discurso de Domingo - Ditos de Jesus ao rei Abgaro - Ensinamentos de Silvano - Ensinamentos do Apóstolo Tadeu - Ensinamentos dos Apóstolos - Epístola aos Laodicenses - Epístola de Herodes a Pôncio Pilatos - Epístola de Jesus ao rei Abgaro (2 versões) - Epístola de Pedro a Filipe - Epístola de Pôncio Pilatos a Herodes - Epístola de Pôncio Pilatos ao Imperador - Epístola de Tibério a Pôncio Pilatos - Epístola do rei Abgaro a Jesus - Epístola dos Apóstolos - Eugnostos, o Bem-Aventurado -Evangelho Apócrifo de João - Evangelho Apócrifo de Tiago - Evangelho Árabe de Infância - Evangelho Armênio de Infância (fragmentos) - Evangelho da Verdade - Evangelho de Bartolomeu -* Evangelho de Filipe - Evangelho de Marcião - Evangelho de Maria Madalena (ou Evangelho de Maria de Betânia) - Evangelho de Matias (ou Tradições de Matias) - Evangelho de Nicodemos (ou Atos de Pilatos) - Evangelho de Pedro - Evangelho de Tome o Gêmeo (Dídimo) - Evangelho do Pseudo-Mateus - Evangelho do Pseudo-Tomé - Evangelho dos Ebionitas (ou Evangelho dos Doze Apóstolos) - Evangelho dos Egípcios - Evangelho dos Hebreus - Evangelho Secreto de Marcos - Exegese sobre a Alma - Exposições Valentinianas - (Fragmentos Evangélicos Conservados em Papiros) - (Fragmentos Evangélicos de Textos Coptas) - História de José o Carpinteiro - Infância do Salvador - Julgamento de Pôncio Pilatos - Livro de João o Teólogo sobre a Assunção da Virgem Maria - Martírio de André - Martírio de Bartolomeu - Martírio de Mateus - Morte de Pôncio Pilatos - Natividade de Maria - O Pensamento de Norea - O Testemunho da Verdade - O Trovão, Mente Perfeita - Passagem da Bem-Aventurada Virgem Maria - "Pistris Sophia" (fragmentos) - Prece de Ação de Graças - Prece do Apóstolo Paulo - Primeiro Apocalipse de Tiago - Proto-Evangelho de Tiago - Retrato de Jesus - Retrato do Salvador - Revelação de Estevão - Revelação de Paulo - Revelação de Pedro - Sabedoria de Jesus Cristo - Segundo Apocalipse de Tiago - Sentença de Pôncio Pilatos contra Jesus - Sobre a Origem do Mundo - Testemunho sobre o Oitavo e o Nono - Tratado sobre a Ressurreição - Vingança do Salvador - Visão de Paulo.

Fontes: (Decreto de Gelásio).

O que seria dos protestantes se não fossem os bispos da Igreja Católica para definir um Cânon Bíblico, fico aqui imaginando como caberia toda essa quantidade de livros debaixo dos braços protestantes! Até por que não teria lógica São Paulo citar como inspirados livros que nem existiam na época como é o caso dos (4) Evangelhos, sendo assim, ao citar a palavra (TODO) São Paulo não estava diferenciando e muito menos separando tais livros como canônicos e apócrifos, pois  se fosse o caso São Paulo diria (Algumas Escrituras são Inspiradas), além de citar nome por nome de cada Escritura que seria inspirada. 

A Igreja Cristã não define o que é Palavra de Deus. Ela meramente reconhece a Palavra de Deus (Jo 10.27). A autenticidade dos documentos do Novo Testamento vem da inspiração de Deus, através dos apóstolos, ao invés de vir da declaração da Igreja Católica. Isso é muito importante. A Igreja Cristã reconhece o que Deus ordenou que estivesse na Palavra de Deus através da sua inspiração soberana. Quando a Igreja Católica se coloca como a fonte das Sagradas Escrituras, ela está na verdade se colocando acima da própria palavra de Deus. Acima já expus quais são os critérios para que algum escrito seja canonizado, e qualquer cristão que tenha o Espírito Santo habitando em si, sem a necessidade de um concílio, pode muito bem, definir quais escritos são de fato inspirados ou não.

Bem, para os protestantes que ficam se gabando de que o seu (AT) foi feito pelos Judeus (chamam de tanach)no qual os protestantes acreditam serem os livros inspirados do (AT) por Deus, esse Cânon só foi definido no inicio do século (II) eu uma espécie de concilio chamado (sínodo de jamnia) realizado pelos mesmos fariseus que condenaram Jesus Cristo a morte, e mesmo assim esse conjunto de livros chamado (tanach)nunca foi a única fonte de fé Judaica, para retirar qualquer dúvida é só procurar (biblioteca judaica), lá qualquer protestante poderá observar que o (tanach)é só uma das fontes de fé Judaicas. Nem os Judeus que condenaram Jesus Cristo supostamente por contraria as Escrituras eram adeptos da SOLA SCRIPTURA

Fontes: (Mishná Judaico)

Bem sabemos que os judeus também aceitavam a tradição, assim como vocês, e por isso foram duramente condenados por Jesus. Além do mais, você não pode alegar que o fariseus do concílio de Jâmnia (séc. II) foram os "mesmos" que condenaram Jesus. Eles viveram mais de 150 anos?

Na época o único lugar no mundo que possuía algum tipo de Aânon em cima das Escrituras Hebraicas, era a biblioteca de Alexandria, que por sinal esse Cânon foi rejeitado pelos protestantes, mas era usado pelos Apóstolos e pelos Essênios onde João Batista se formou.     

Bem, voltando ao assunto, podemos concluir que as Escrituras inspiradas por Deus, segundo os hebreus e os primeiros Cristãos eram milhares de Escrituras, só não eram divididas entre canônicas e apócrifas, mas todas elas eram grandes fontes de fé, porém não era a única fonte de fé que existiam na época, pois os Profetas e os Apóstolos também usavam a tradição oral junto das revelações. 

Agora eu vou provar que os apóstolos além das Escrituras, ensinavam a seguir a tradição oral e as revelações Divinas ao magistério da Igreja. 

  • Tradição oral.
  • Revelação ao magistério da igreja.

Tradição oral:

A tradição oral nada mais é do que a transmissão dos ensinamentos Divinos que não foram registrados em Escrituras, assim nós podemos observar esse ensinamento na carta de São Judas onde ele cita o conto da disputa do Anjo e do demônio pelo corpo de Moises, foi uma tradição oral milenar. Agora eu vou mostrar que os Apóstolos também ensinaram a guarda todos os ensinamentos escritos e transmitidos oralmente.

“Assim, pois, irmãos, estai firmes e conservai as tradições que vos foram ensinadas, seja por palavra, seja por epístola nossa. (II Tessalonicenses capítulo 2 verso 15, Bíblia versão João Ferreira de Almeida)

Esse pequeno versículo acabaria com qualquer heresia protestante sobre a desgraça da SOLA SCRIPTRA, São Paulo ordena que os Cristãos guardem o que foi escrito e o que transmitido oralmente. Podemos observar isso na carta de São Paulo a Timótio:

O que de mim ouviste em presença de muitas testemunhas, confia-o a homens fiéis que, por sua vez, sejam capazes de instruir a outros. (II Timótio capítulo 2 verso 2, Bíblia versão Ave Maria)

Por acaso São Paulo mandou Timótio registrar alguma coisa? Lógico que não; ele apenas manda transmitir o que ele próprio ouviu, se ele fosse adepto da SOLA SCRIPTURA hoje teríamos na Bíblia um livro Escrito por Timóito. Meu Deus! Será que Timótio não cumpriu a sua missão de transmitir o que ele ouviu? 

Timóteo não era apóstolo, por isso, não tinha autoridade para escrever nada que fosse canônico. Em 2Ts 2.15, quando Paulo diz "quer por palavra, que por epístola" ele não está dizendo, em momento algum que disse algo diferente daquilo que havia escrito, pois ele mesmo condenou isso em relação a ele próprio:

"Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema." (Gl 1.8)  


Portanto, o ensino oral de Paulo estava em pleno acordo com o que ele escrevia. Eu já mencionei aqui, por várias vezes, que o problema está exatamente em ensinar algo que contradiga o que a Palavra de Deus nos ensina, e não em aceitar algo fora dela que ensine a mesma coisa.

Um exemplo disso é aceitar um conselho do Papa. Se ele te dá um conselho de acordo com a bíblia, isso significa que ele é inspirado? De forma alguma, mas simplesmente ele está falando de acordo com a Verdade. Agora, se você o considera "infalível" e ele ensina algo contrário às Escrituras, o que você faz? Abaixa a cabeça e obedece a ele, ou desobedece a ele e obedece à Palavra de Deus?

E então? Quem é a autoridade final? Homens podem errar, as Escrituras não.

Uma calculadora pode fazer um cálculo errado? Certamente que sim, mas somente se quem a opera inserir os números e operações matemáticas de maneira errada. Portanto, com as Escrituras é a mesma coisa. Ela só erra quando homens a interpretam de maneira errada, porém, homens CERTAMENTE erram, todos eles! Mas isso não significa que a verdade necessária para a salvação do homem não esteja contida nas Escrituras.

João XXII (1316-1334) em 1331 ensinou que as almas dos santos não tinham a visão de Deus antes da ressurreição da carne. Esta heresia foi condenada pelo seu sucessor Bento XII (1334-1342). E ainda João XXII na Bula Cum inter nonnullos de 1323 afirmou: ‘Dizer que Cristo e os apóstolos não possuíam nada significa falsear as Escrituras’ (citado por Peter de Rosa em Vicari di Cristo [ Vigários de Cristo] , Milano 1989, pag. 226); segundo ele portanto Cristo e os apóstolos não tinham vivido pobres. Isto antes de tudo contrasta a Palavra de Deus, e em segundo lugar está em plena contradição com o que tinham afirmado os seus predecessores Honório III, Inocêncio IV, Alexandre IV, Bonifácio VIII.

Pio IX (1846-1878) em 1854 decretou a imaculada conceição de Maria, doutrina esta que vai abertamente contra a Escritura que ensina que só Jesus foi concebido sem pecado. Mas o que queremos fazer notar é que ela foi condenada por diversos predecessores de Pio IX (como Gelásio I, Gregório dito Magno, Inocêncio III e Leão Magno).

Quanta contradiçõa entre Papas "inaflíveis", não?

Revelações futuras ao magistério da Igreja:

As revelações futuras foi uma promessa do Nosso Senhor Jesus Cristo:

Muitas coisas ainda tenho a dizer-vos, mas não as podeis suportar agora. Quando vier o Paráclito, o Espírito da Verdade, ensinar-vos-á toda a verdade, porque não falará por si mesmo, mas dirá o que ouvir, e anunciar-vos-á as coisas que virão. (João capítulo 16 versos 12-13, Bíblia versão Ave Maria)

Bem, o pastor que prega o tal silencio de Deus com a humanidade depois da morte de São João, trabalha para satanás, nunca Jesus Cristo afirmou tal heresia, muito pelo contrario, Jesus Cristo afirmou que estaria conosco todos os dias e que o Espírito Santo iria continuar anunciando revelações futuras.

O texto em questão fala a respeito do Espírito Santo que seria dado a todos os que cressem em Jesus, e não que esse Espírito serviria somente à ICR para revelar a ela coisas novas. Além do mais, o que o Espírito Santo falou aos apóstolos, encerrou-se com a morte de João, o último dos 12 a morrer. Se a ICR considera todas as revelação recebidas após a morte de João como novas revelações, porque elas não estão presentes no Cânon da Bíblia Católica?

"Quem crê em mim, como diz a Escritura, rios de água viva correräo do seu ventre.  E isto disse ele do Espírito que haviam de receber os que nele cressem; porque o Espírito Santo ainda näo fora dado, por ainda Jesus näo ter sido glorificado." (Jo 7.38-39)

Colocarei uma situação clássica de uma revelação futura na era Apostólica.

Quando foi que Jesus Cristo aboliu a circuncisão?

“Eis que eu, Paulo, vos declaro: se vos circuncidardes, de nada vos servirá Cristo. (Gálatas capítulo 5 verso 2, Bíblia versão Ave Maria)

Não existe nada nos Evangelhos sobre Jesus Cristo abolir ou ir contra a circuncisão, tanto que ele mesmo era circuncidado, mas São Paulo pregou a abolição da circuncisão, fica a pergunta; com que autoridade São Paulo fez isso? A resposta é simples:

Graças ao magistério da Igreja a quem foi revelada.

Será mesmo? Jesus ensinou claramente que a salvação era pela fé nele, e não pela Lei, portanto, para Paulo, isso era tão claro como água límpida. Paulo sabia que a salvação era somente pela graça, e que o homem não deveria tentar fazer nada para obter salvação. A Lei estava sendo usada com esse intuito pelos judeus e isso também estava sendo imposto aos gentios, e Paulo, ao pregar o evangelho da graça, condenou qualquer prática da Lei que adicionasse qualquer obediência como necessária para a salvação.

Isso é facilmente compreendido quando lemos o versículo anterior ao citado por Cris Macabeus.

"Estai, pois, firmes na liberdade com que Cristo nos libertou, e näo torneis a colocar-vos debaixo do jugo de escravidão." (Gl 5.1)


Ler os versículos imediatos em vez de tomar versículos isolados faria diferença aqui, e impediria nosso caro Cris de levantar argumentos desnecessários e infundados. Além do mais, o AT já apontava para a abolição da obediência à Lei como necessária para a justificação.

Jeremias 31

31  Eis que dias vêm, diz o SENHOR, em que farei uma aliança nova com a casa de Israel e com a casa de Judá.
32  Näo conforme a aliança que fiz com seus pais, no dia em que os tomei pela mäo, para os tirar da terra do Egito; porque eles invalidaram a minha aliança apesar de eu os haver desposado, diz o SENHOR.
33  Mas esta é a aliança que farei com a casa de Israel depois daqueles dias, diz o SENHOR: Porei a minha lei no seu interior, e a escreverei no seu coraçäo; e eu serei o seu Deus e eles seräo o meu povo.
34  E näo ensinará mais cada um a seu próximo, nem cada um a seu irmäo, dizendo: Conhecei ao SENHOR; porque todos me conheceräo, desde o menor até ao maior deles, diz o SENHOR; porque lhes perdoarei a sua maldade, e nunca mais me lembrarei dos seus pecados.


Uma clara referência ao derramar do Espírito Santo no coração do crente, que dali para frente teria a Lei de Deus escrita em seu coração e o Espírito para guiá-lo, não necessitando mais de obediência às tábuas de pedra nem estando mais sob a condenação causada pela desobediência à Lei. E o autor de Hebreus sabia muito bem disso, pois fez referência a esse mesmo texto (Hb 8.10-12) quando cita Jesus Cristo.

O Espírito Santo guiou o apóstolo Paulo através das Escrituras e revelou a ele o que havia se cumprido na pessoa de Jesus. É assim que ele percebeu que a circuncisão havia sido abolida. Além do mais, a circuncisão era o sinal da aliança feita com Abraão (Gn 17.10-11), e se essa aliança havia sido trocada por um melhor, feita com Cristo, logo, esse sinal que representava a velha aliana não era mais necessária.

"Dizendo Nova aliança, envelheceu a primeira. Ora, o que foi tornado velho, e se envelhece, perto está de acabar." (Hb 8.13)

E sobre Jesus ter sido circuncidado, cabia a ele, como ele mesmo disse, cumprir toda a justiça (Mt 3.15), pois a circuncisão AINDA era parte da Lei, e ele deveria cumpri-la integralmente (Mt 5.17) a fim de morrer perfeitamente justo e sem culpa, e de modo que tudo o que estivesse escrito a seu respeito nas Escrituras também se cumprisse.

"E disse-lhes: Säo estas as palavras que vos disse estando ainda convosco: Que convinha que se cumprisse tudo o que de mim estava escrito na lei de Moisés, e nos profetas e nos Salmos." (Lc 24.44)

Outro exemplo clássico:

Abolição do calendário festivo Judaico e dos seus hábitos alimentares.

“Ninguém, pois, vos critique por causa de comida ou bebida, ou espécies de festas ou de luas novas ou de sábados.”(Colossences capítulo 2 verso 16, Bíblia versão Ave Maria)

Ao ler os Evangelhos principalmente o de São João, vocês observarão que Jesus Cristo participava de todas as festas do calendário Judaico, fica a pergunta; qual autoridade São Paulo recebeu para abolir tais festas e costumes? Bem, Não existiria outra autoridade a não ser a revelação segundo o magistério da Igreja.


Mesma resposta acima. Cristãos, agora libertos da escravidão da Lei mediante o sacrifício de Cristo não deveriam ser OBRIGADOS a praticar tais coisas para que somente assim pudessem ser justificados. Jesus cumpriu toda a lei para que sua justiça, conquistada na cruz e disponibilizada a todos os que crêem, fosse perfeita.

Por isso São Paulo afirma que a coluna que sustenta a verdade é a Igreja e não as Escrituras ou a Bíblia no qual ele nem tinha conhecimento que existiria um dia.

“Todavia, se eu tardar, quero que saibas como deves portar-te na casa de Deus, que é a Igreja de Deus vivo, coluna e sustentáculo da verdade.” (I Timótio capítulo 3 verso 15, Bíblia versão Ave Maria


Refutada no início do texto.

Ele afirma também que foi através da Igreja que principados e potestades puderam conhecer a sabedoria Divina, infelizmente ele não citou as Escrituras como autoridade máxima em questões doutrinaria, pelo contrario, ele cita a autoridade da Igreja.

“Assim, de ora em diante, as dominações e as potestades celestes podem conhecer, pela Igreja, a infinita diversidade da sabedoria divina,” (Efésios capítulo 3 verso 10, Bíblia versão Ave Maria)


Pela igreja, ou seja, todos quantos possuem o Espírito Santo habitando em si, dominações e potestades celestes podem conhecer a infinita "sabedoria" de Deus.

Sabedoria, na mente judaica (Paulo era judeu) não significa conhecimento, como na mentalidade grego, mas sim "prática", ou seja, é o conhecimento praticado.

O que Paulo nos diz aqui é que é através da prática da igreja, ou seja, de seu bom proceder, que as dominações e potesdades celestes conheceriam a sabedoria de Deus.

Vejamos:

"Tendo o vosso viver honesto entre os gentios; para que, naquilo em que falam mal de vós, como de malfeitores, glorifiquem a Deus no dia da visitaçäo, pelas boas obras que em vós observem." (1Pe 2.12)

"Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus." (Mt 5.16)

Portanto, mais uma vez, um versículo fora de contexto, tentando provar seu ponto de vista. Se o conhecimento acerca da definição correta de igreja não for compreendido, o estrago teológico está feito! A igreja não revela sabedoria (conhecimento novo), ela revela ao mundo a prática do conhecimento já presente nas Escrituras mediante o mover do Espírito Santo!

Depois de todas essas provas Bíblicas de que jamais a SOLA SCRIPTURA foi usada como doutrina de fé entre Profetas e Apóstolos, ainda virá protestante com a mesma pergunta imbecil. (Onde está na Bíblia?)

Que provas?? Até agora o Sr. não citou NENHUMA prova bíblica e coerente de que a Sola Scriptura, da maneira como ela é de fato crida, não é bíblica. E pior... terá sérios problemas em provar que o catecismo e a tradição da ICR não contradizem as Escrituras.

Agora eu vou ensinar aos protestantes o real significado de (SOLA SCRIPTURA), pois nem eles sabem o que isso significa.

Acreditar somente no que está escrito não pode existir: 

  • Tradições que não esteja escrita em um livro anterior ao posterior.
  • Livros onde não se sabe exatamente quem foram seus autores.
  • Se tratando da Bíblia que é um conjunto de livros, algum autor tem que relatar em um de seus livros a total quantidade desse Cânon, pois Escrituras existem milhares.
  • Não podem existir personagens ocultos como é o caso do Discípulo amado, pois só sabemos que se trata de São João por fontes extras Bíblicas.
  • Jamais poderia existir um ensinamento que contrariasse outro, como foi o caso de Jesus Cristo trabalhar no sábado e São Paulo abolir a circuncisão.
  • Em nenhum momento algum desses livros poderia afirmar o dever de ser guardar tudo o que foi escrito e também o que foi transmitido oralmente.
  • Tudo sobre esse livro teria que ser gerado apenas em torno do que estaria escrito nele próprio, como os autores dos evangelhos, pois em nenhum deles há algum registro de quem seria seus autores.


Será que nós não sabemos, ou será que são os católicos é que têm uma idéia distorcida do princípio que Deus nos deixou de SEMPRE verificar coisas espirituais com coisas espirituais  (1Cor 2.13) e nunca aceitar nada que contradiga a fé que já nos foi dada "uma vez para sempre" (Jd 3)?? E o interessante é isso:

"Amados, procurando eu escrever-vos com toda a diligência acerca da salvaçäo comum, tive por necessidade escrever-vos, e exortar-vos a batalhar pela fé que uma vez por todas foi dada aos santos." (Jd 3)

Eu DESAFIO qualquer católico a comparar todos os dogmas da ICR com as Escrituras e encontrar concordância absoluta entre todos eles. Nem mesmo os Papas "infalíveis" concordavam entre si sobre alguns assuntos.

"Em 896 torna-se papa Estevão VI (896-897). Este papa foi definido pelo cardeal Barônio ‘um intruso’. Ele fez desenterrar o cadáver do seu predecessor Formoso (891-896), o vestiu com as suas vestes pontificais, e o levou perante uma assembleia de cardeais, bispos e padres, e o pôs sentado para julgá-lo. Estevão começou então a acusar aquele cadáver de muitos delitos* e o incitava a responder em sua defesa. Mas como aquele morto não podia responder respondia um outro no seu lugar. No fim foi julgado culpado, foram-lhe cortados da sua mão direita três dedos, o polegar, o indicador e o médio, com os quais o papa costuma abençoar, foi despido das suas vestes e depois de ter sido arrastado pelas ruas de Roma foi lançado no Tibre por ordem de Estevão VI. Este papa foi depois preso por uma parte do povo romano e lançado na prisão onde segundo alguns foi depois estrangulado."

* Este Formoso quando era ainda bispo de Porto tinha sido segundo alguns o chefe, segundo outros tinha tido parte na conspiração conhecida sob o nome de conjura de Gregório o Nomenclador, conjura que tinha nada menos o objectivo de entregar Roma aos Sarracenos. Descoberta a conjura papa João VIII (872-882) excomungou Formoso e o depôs; mas o seu sucessor Marino I (882-884) o tinha reabilitado restituindo-lhe o bispado. Como papa (891-896) tinha-se feito culpado de ter renegado a casa de Spoleto invocando à traição a Itália um rei bárbaro. Por este acto tinha atraído um forte ódio da parte dos spoletinos; Estevão tinha sido eleito papa exactamente pelo partido dos spoletinos. Daqui o macabro acto de Estevão VI.

Fala sério né??

Após ter ensinado aos protestantes o real significado de (SOLA SCRIPTURA), irei mostrar que esses mesmo protestantes são obrigados a engolir a tradição Católica para acreditarem em sua (SOLA SCRIPTURA).

Será??

Peço ao leitor que observem esses versículos Bíblicos tão usados pelos pastores, com esses versículos eles defendem o circo teatral pentecostal.   

“Tendo Jesus ressuscitado de manhã, no primeiro dia da semana apareceu primeiramente a Maria de Magdala, de quem tinha expulsado sete demônios. Foi ela noticiá-lo aos que estiveram com ele, os quais estavam aflitos e chorosos. Quando souberam que Jesus vivia e que ela o tinha visto, não quiseram acreditar. Mais tarde, ele apareceu sob outra forma a dois entre eles que iam para o campo. Eles foram anunciá-lo aos demais. Mas estes tampouco acreditaram. Por fim apareceu aos Onze, quando estavam sentados à mesa, e censurou-lhes a incredulidade e dureza de coração, por não acreditarem nos que o tinham visto ressuscitado. E disse-lhes: Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo, mas quem não crer será condenado.Estes milagres acompanharão os que crerem: expulsarão os demônios em meu nome, falarão novas línguas, manusearão serpentes e, se beberem algum veneno mortal, não lhes fará mal; imporão as mãos aos enfermos e eles ficarão curados. Depois que o Senhor Jesus lhes falou, foi levado ao céu e está sentado à direita de Deus.Os discípulos partiram e pregaram por toda parte. O Senhor cooperava com eles e confirmava a sua palavra com os milagres que a acompanhavam.” (Marcos capítulo 16 verso do 9 ao 20, Bíblia versão Ave Maria   

Com esses versículos eles justificam as suas curas milagrosas e exorcismos satânicos, porém esses versículos é apenas uma tradição da Igreja Católica, não há menção deles nos manuscrito originais de São Marcos, pois o capitulo (16) termina no versículo (8) e não no versículo (20)

A prova disso está no (Codex Sinaiticos):

 Codex Sinaiticus


Vejamos: Cris Macabeus nos diz que não há menção de mais que 8 versículos do capítulo 16 de Marcos "nos manuscritos originais", e que por isso, nós só temos acesso a isso pela tradição católica.

Essa mentira foi de doer. Esses versículos podem até não constar no manuscrituo citado por ele (CODEX SINAITICUS), porém, vejamos alguns detalhes sobres os outros manuscritos disponíveis:

A favor de Marcos 16.9-20

 

  • Codex Alexandrinus (A) - (5th c. uncial, Byzantine in Gospels)
  • Ephraemi Rescriptus (C) - (5th c. uncial, Alexandrian)
  • Codex Bezae Cantabrigiensis (D) - (5th/6th c. uncial, Western)
  • K (9th c. uncial, Byzantine)
  • W (5th c. uncial, generally thought to be Caesarean in Mark 5:31-16:20)
  • X (10th c. uncial, Alexandrian)
  • Delta (9th c. uncial, Alexandrian)
  • Theta (9th c. uncial, Caesarean)
  • Pi (9th c. uncial, Byzantine)
  • f1 and f13 (total of 16 Caesarean texts, 11th-14th c.)
  • 28 (11th c. minuscule, Caesarean)
  • 33 (9th c. minuscule, Alexandrian)
  • 565 (9th c. minuscule, Caesarean)
  • 700 (11th c. minuscule, Caesarean)
  • 892 (9th c. minuscule, Alexandrian)
  • 1010 (12th c. minuscule, Byzantine)
  • The Byzantine textual set
  • Some of the Greek lectionaries

 

Contra Marcos 16.9-20

 

  • Codex Sinaiticus (À) - (4th c. uncial, Alexandrian)
  • Codex Vaticanus (B) - (4th c. uncial, Alexandrian)
  • 304 (12th c. minuscule, Byzantine)
  • 2386 (11th c. minuscule, Byzantine)


Vemos então, claramente, que a afirmação de Cris Macabeus sobre os versículos 9-20 não estarem presentes nos manuscritos "originais" é infundada, por que os "originais" não existem hoje. Eles podem não estar presentes nos manuscritos sinaiticus, vaticanus, 304 e 2386, porém, estão presentes em muitos outros.

Agora, a questão é a seguinte: qual é a importância de se discutir sobre versículos que "encontram apoio bíblico nos outros evangelhos"?

A análise é simples... se pegarmos por exemplo o codex alexandrinus, do século 5, que contém os versículos 9-20, não precisaríamos da ICR nem da tradição para nos dizer se eles pertencem às escrituras ou não. Basta procurarmos nas próprias Escrituras, e vemos que o Evangelho de Lucas retrata os mesmos fatos que o evangelho de Marcos. Portanto, esses versículos são aprovados pelas Escrituras quando comparados com elas.

Isso é Sola Scriptura. Sola Scriptura não é aceitar somente o que está escrito, mas aceitar somente aquilo que concorda com o que está escrito em matéria de fé e doutrina principalmente acerca da salvação, e isso tem uma GRANDE diferença.

Para saber mais sobre a aceitação dos versículos 9-20 de Marcos 16: http://www.studytoanswer.net/bibleversions/markend.html

Bem, ates de pregar a SOLA SCRIPTURA nossos amigos protestantes tem que engolir primeiro a tradição Católica, o mesmo acontece com a historinha da mulher adúltera em João capítulo (8), não existe essa historinha nos manuscritos originais é só mais uma tradição da Igreja Católica.

Até agora, nós protestantes não precisamos "engolir" nada para pregar a Sola Scriptura. Jesus disse que a Palavra de Deus é a verdade (Jo 17.17). Paulo não citou a tradição nas armadura "completa" de Deus (Ef 6), e ninguém das pessoas que foi salva no NT precisou de nenhum dos ensinamentos de tradição presentes hoje na ICR. Portanto, é a ICR quem tem que PROVAR que seus ensinamentos são 100% condizentes com a Palavra de Deus. Se houver um só erro, elas vêm de outra fonte que não é Deus.

E pra quem quiser saber mais sobre os PODRES dos infalíveis Papas de Roma, deixo aqui uma excelente fonte de leitura: http://portoghese.lanuovavia.org/portoghese_conf_1_ccr_04_papato.htm

E sobre João 8, quem tiver interesse, pode consultar aqui, mais uma mentira católica: http://www.scionofzion.com/john_7_53_8_11.htm

 Assim eu termino essa matéria sobre (A Morte da Sola Scriptura), volto a repetir, ninguém está questionando a inspiração das Escrituras e muito menos a sua utilidade, apenas que ser (Útil) nada tem a ver com ser único, colocamos todos os seus valores em seu devido lugar.

Agradeço a você, meu caro Cris Macabeus, por nos fazer o favor de não provar nada daquilo a que você se propôs. Pelo contrário, só mostrou o quanto seu coração está cheio de algo que não vem de Deus, e o quanto a ICR tem que provar que seus ensinamentos não contradizem as Escrituras, já que afirmam que vêm da mesma fonte de inspiração.

Você pode até não estar questionando a inspiração das Escrituras, mas eu, com toda a certeza, questiono a inspiração de pelo menos um dos ensinamentos listados abaixo E A TRADIÇÃO QUE EMBASA TAIS ENSINAMENTOS. Não é porque os Pais da Igreja disseram algo, que eles eram inspirados. Até mesmo porque se fossem, seus escritos estariam presentes no cânon da bíblia católica. Citar tradições não prova nada, mas sim compará-las com as Escrituras e provar que não há contradições entre as duas fontes.

1) Beber do Cálice proibido para os fiéis - BASE BÍBLICA ????;

"E, tomando o cálice, e dando graças, deu-lho, dizendo: Bebei dele todos" (Mateus 26.27)

"Examine-se, pois, o homem a si mesmo, e assim coma deste päo e beba deste cálice." (1Cor 11.28)

2) Proteção oferecida pelo escapulário - BASE BÍBLICA???;

Vamos examinar agora o que a Igreja Católica ensina sobre os escapulários. O Novo Catecismo de São José de Baltimore define os escapulários assim: "Escapulário — dois pedaços quadrados de pano ligados por cordões que são colocados em torno do pescoço, um na frente e outro atrás; o uso do escapulário confere indulgências". [pág. 250].

Em seguida, na página 224, na seção intitulada "Os Sacramentais", a questão dos escapulários é discutida novamente. "Quais são os objetos bentos de devoção mais usados pelos católicos?" Resposta: Os objetos bentos de devoção mais usados pelos católicos são: água benta, velas, cinzas, palmas, crucifixos, medalhas, rosários, escapulários e as imagens de Nosso Senhor, da Virgem Bendita e dos santos".

Agora que sabemos o que é um escapulário, quais são os ensinos referentes ao seu uso? Adquirimos um escapulário em uma livraria católica no Santuário La Salette, em Attleboro, Massachusetts. Dentro do pacote havia um panfleto que descrevia a importância do escapulário. O título dizia:

"Atribua Grande Importância ao seu Escapulário — É uma Garantia da Salvação"

"Aquele que morrer vestindo seu escapulário não sofrerá o fogo eterno" — Promessa de Maria a São Simão Stock, 16/7/1251"

"Seu escapulário deve ter então um profundo significado para você. É um rico presente trazido dos céus por Nossa Senhora em pessoa. 'Vista-o com devoção e perseverança', ela diz a cada um. 'É a minha vestimenta. Estar com ele significa que você pensa em mim continuamente, e eu, da minha parte, sempre estarei pensando em você e ajudando-o a obter a vida eterna."

"Santo Alfonso disse: Do mesmo modo como os patrões sentem orgulho vendo seus empregados vestindo uniformes, assim também a santíssima Maria fica feliz quando seus servos vestem seus escapulários, como um sinal de que estão dedicados ao seu serviço e que são membros da família da Mãe de Deus."

"A verdadeira devoção à Maria consiste em veneração — confiança, amor. Usar o escapulário é um modo de dizer à Maria que a veneramos, amamos e que confiamos nela."

"O escapulário é uma oração. Nosso Senhor nos ensinou a dizer o Pai Nosso. Maria nos ensinou o valor do escapulário. Quando o usamos como uma reza, Nossa Senhora leva-nos para perto do Sagrado Coração de seu Divino Filho. Portanto, é uma boa coisa ter o escapulário nas mãos ao rezar à Nossa Senhora." [Ênfase no panfleto].

"Uma reza proferida com o escapulário místico nas mãos é a mais perfeita que pode ser feita. É especialmente nas horas da tentação que precisamos da poderosa intercessão da Mãe de Deus; o espírito maligno nada pode contra aquele que enfrenta a tentação invocando Maria e portando o escapulário em sua silenciosa devoção."

"Se estivesses dedicado a mim, não terias incorrido em tal perigo', foi a gentil repreensão de Nossa Senhora ao beato Alan.' [Ênfase no panfleto].

"Como você ama o escapulário de Maria, venere-o freqüentemente." [Ênfase no panfleto].

"O papa Bento XV conferiu uma indulgência parcial cada vez que o escapulário for beijado. A maternidade de Maria não está limitada aos católicos; está estendida a todos os homens. Muitos milagres de conversão já foram realizados em favor de bons não-católicos que praticaram a devoção ao escapulário." [Ênfase no panfleto].

"Eu queria saber se Maria real e verdadeiramente se interessava por mim e pelo escapulário. Ela me deu a mais tangível certeza. Apenas preciso abrir meus olhos. Ela colocou sua proteção no escapulário: Aquele que morrer usando o escapulário não sofrerá o fogo eterno.' Beato Cláudio de la Colombière" [Ênfase no original].

"O livro Sign of Her Heart (sobre o escapulário) e outros títulos, folhetos e artigos religiosos podem ser adquiridos na: The Blue Army of Our Lady of Fátima, Washington, NJ 07882."

"Imprimatur: Thomas O´Leary, D.D., Bispo de Springfield"

Fonte: http://www.espada.eti.br/rc110.asp


É meu caro Cris... os católicos têm muito o que provar até que alguém, de fato, considere todas as coisas ensinadas pela ICR como inspiradas pelo mesmo Deus da Bíblia.

Que o Senhor Jesus Cristo nos conceda sabedoria e entendimento para que possamos, cada vez mais, nos submetermos mais a Ele, e menos aos homens.

Fiquem todos na Paz de Cristo!